Por Luiz Henrique de Oliveira e Geovane Barreiro

(Fotos: Colaboração / Banda B)

Instalado desde 2012 em frente a Justiça Federal, no bairro Ahú, em Curitiba, o acampamento do ‘Movimento Curitiba Contra Corrupção’ foi derrubado nesta quarta-feira (15). Segundo os integrantes do grupo, tudo aconteceu no início da manhã em uma ação da Secretaria de Urbanismo, órgão ligado à Prefeitura de Curitiba.

Estrutura do acampamento foi derrubada pela prefeitura (Foto: isabella-lanave-ruafotocoletivo)

Narli Rezende, uma das responsáveis pelo movimento, disse que o que aconteceu nesta manhã foi inexplicável. “A gente sempre recebia os políticos presos e fomos crescendo desde de 2012, acompanhando a Lava Jato. Estamos há anos cuidando da praça e respeitando os regulamentos. Hoje fizeram isso e falaram que o secretário de Urbanismo vai para lá tentar nos explicar o inexplicável”, disse à Banda B.

Segundo Narli, o grupo vinha tentando ‘adotar’ o espaço, por conta da tamanha repercussão desde o início da instalação do acampamento. “Pedimos a ‘adoção’ da praça e tivemos uma conversa com o secretário de urbanismo. Pedimos a permissão para o apadrinhamento da praça, mas para nossa surpresa quando chegamos hoje estava tudo jogado no chão e destruído, com o caminhão da Prefeitura recolhendo tudo. É um absurdo”, lamentou.

A Banda B entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Curitiba, que enviou a seguinte nota:

Desde 2016, na gestão passada, o “Movimento Curitiba contra a Corrupção” está na praça Pedro Alexandre Brotto, no Ahú. Em função disto, a atual administração está orientando aos manifestantes sobre a ocupação do espaço, que deve ser feita dentro do que estabelece as normas de urbanismo e meio ambiente da cidade. A Prefeitura de Curitiba, por meio da Secretaria de Urbanismo, já se reuniu com os manifestantes nesta quarta-feira (15), informando que, o código de postura da cidade não permite colocar faixas em árvores ou no mobiliário urbano. Outros ajustes poderão ser feitos a pedido da Prefeitura de Curitiba.