Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

A Prefeitura de Curitiba anunciou na tarde desta sexta-feira (7) um reajuste de R$ 0,15 no preço da passagem de ônibus em Curitiba e região metropolitana. Com a decisão, a tarifa passa de R$ 2,70 para R$ 2,85. Este é o mesmo reajuste anunciado pela Urbanização de Curitiba (Urbs) no ano passado, véspera das manifestações que cobriram o país em junho. A medida passa a valer a partir da zero hora de terça-feira (11).

gregorioPresidente da Urbs anuncia reajuste (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Em entrevista à Banda B, o presidente da Urbs, Roberto Gregório, disse que o valor é uma recomposição do que é subsidiado pelas administrações municipal e estadual. “Juntos, a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado estavam gastando R$ 12 milhões com o transporte coletivo da rede integrada, então, para aliviar as contas, acertamos conjuntamente este novo valor”, explicou.

Gregório confirmou ainda que um novo aumento deve ocorrer no início do ano que vem por conta da data-base de motoristas e cobradores da rede integrada. “A gasolina também aumentou e certamente devemos ter um novo aumento além deste de agora”, comentou.

Por fim, o presidente da Urbs anunciou que a partir de 2015 a passagem para usuários que utilizam o cartão-transporte e para quem paga em dinheiro deve ser diferenciada, mas os novos valores ficam adiados para o novo reajuste.

A Linha Turismo e o Circular Centro também sofrem aumento a partir de terça-feira. A Turismo passa para R$ 30 e a Circular Centro para R$ 1,80.

Alerta

Há cerca de dez dias, o radialista e deputado estadual eleito pelo PSD, Luiz Carlos Martins, fez um alerta em seu programa na Rádio Banda B, de que a tarifa de ônibus em Curitiba poderia subir. “Recebi informações de fontes quentes que o preço da tarifa de ônibus de Curitiba vai subir ainda este ano. Eu não viria ao microfone para inventar alguma coisa de forma irresponsável. É preciso que a Prefeitura de Curitiba se manifeste se realmente há esta possibilidade”, disse.

Na ocasião, a Prefeitura não havia se pronunciado sobre a possibilidade.