A partir de 2 de maio, o limite da renda mensal familiar para interessados em se cadastrar e utilizar os Armazéns da Família vai aumentar. Dos atuais R$ 1.395, passará para R$ 1.695,00 – valor equivalente a 2,5 salários mínimos nacional. O valor será reajustado anualmente, de forma a manter a mesma proporção em relação ao salário mínimo. A previsão é que a medida beneficie cerca de 35 mil famílias, que poderão comprar produtos até 30% mais baratos que os vendidos em supermercados. Além disso, o valor máximo para compra passará de R$ 350,00 para R$ 400,00.

O anúncio foi feito na noite de segunda-feira (15), pelo prefeito Gustavo Fruet e pelo secretário municipal do Abastecimento, Aldo Fernando Klein Nunes, durante a penúltima consulta pública sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014. Além do abastecimento, a consulta, realizada no Clube da Pesca de Santa Felicidade, tratou do orçamento da Ação Social e da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Os Armazéns da Família garantem aos cadastrados economia de 30% em relação aos aos preços praticados pelos supermercados da cidade. O limite de renda familiar para o cadastro não era atualizado desde janeiro de 2010. “ O salário mínimo é corrigido todo ano e o valor para ingressar no programa estava congelado há três anos. O prefeito Gustavo Fruet determinou que fosse corrigida essa distorção”, afirmou Klein Nunes.

A ampliação do acesso ao programa deve beneficiar em torno de 35 mil famílias, o que representa um aumento de 20% em relação ao número de famílias atendidas atualmente, cerca de 180 mil. Hoje existem no município 33 Armazéns da Família.

“Sem o aumento do limite da renda, muitas famílias estavam excluídas”, disse Klein Nunes. O secretário também informou que será aberto, no início de maio, o armazém São João Del Rey, localizado no Sítio Cercado. Para 2014 já está prevista no orçamento a construção do Mercado Regional da Região Sul, que está entre as que mais crescem na cidade.