Por Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira

parque-barigui (1)

(Foto: Cesar Brustolin/SMCS)

Um grupo de atletas organiza uma manifestação para pedir mais segurança no Parque Barigui, em Curitiba. O protesto está marcado para as 9h deste sábado (31), em frente ao módulo da Guarda Municipal (GM).

Segundo uma das organizadoras do evento, o alto número de furtos e roubos nas últimas semanas assusta as pessoas que usam o local com frequência para treinar. “No começo do mês, houve até o sequestro de um homem que caminhava pelo parque. Ninguém sabe o que está acontecendo. Eu mesma já fui assaltada e não treino à noite por causa disso”, comentou a professora de Educação Física Denise Camilo, dona de uma das assessorias esportivas do local.

Ela pede a melhora da iluminação no parque e uma revisão das câmeras de segurança, que, de acordo com a professora, estão desligadas. “O ideal, também, seria reforçar o patrulhamento na saída da BR-277, que é um ponto de fuga fácil para os criminosos que roubam os carros do estacionamento. Além disso, a passarela deveria ser vigiada, já que muitos meliantes se escondem ali”.

Denise conhece, ainda, casos de pessoas que foram abordadas por ladrões no parque, mas que não registraram Boletim de Ocorrência. “A situação está fora de controle, nós precisamos de uma solução. Por isso vamos protestar”, afirmou.

Prefeitura de Curitiba

Em nota, a Prefeitura de Curitiba declarou que os crimes no Parque Barigui são preocupantes e que há cobrança por parte da gestão às polícias militar e civil para a repressão e investigação dos casos. Leia a nota na íntegra:

As ocorrências de furto, roubo e outros crimes no Parque Barigui preocupam a Prefeitura de Curitiba, que vem cobrando das polícias militar e civil um trabalho mais intenso de repressão e investigação dos casos. Inclusive, por meio do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) em segurança pública do Município, a Prefeitura já solicitou uma reunião com a PM para tratar especificamente do tema da segurança no Barigui.

A repressão aos crimes é função da Polícia Militar, não importando o local onde crimes ocorrem. Dentro do papel suplementar ao da PM, de auxiliar na segurança fazendo patrulhamentos preventivos, a Guarda Municipal já intensificou as rondas dentro do parque e mantém oito guardas municipais em módulo fixo na Cândido Hartmann, que podem prestar um primeiro atendimento em casos como os registrados recentemente. Seis câmeras de segurança auxiliam nesse monitoramento do Barigui. Quatro passam por manutenção após problemas provocados por um raio que danificou o sistema no temporal da última semana.

Em outra frente, a Prefeitura de Curitiba está investindo em melhorias como a iluminação, que aumentam a segurança dos frequentadores dos parques no período noturno. No Barigui, acaba de ser entregue a nova iluminação do estacionamento, ao lado da BR-277. Foram instaladas 125 luminárias viárias de 150 watts de vapor metálico e outras 14 luminárias com potência ainda maior, de 250 watts. Também já foi concluída a implantação de 20 postes com luminárias decorativas em dois trechos de ciclovia que cortam o parque.

É importante ressaltar que Segurança Pública é responsabilidade constitucional dos governos estaduais. Os guardas municipais atuam auxiliando no atendimento à população e fazem apenas prisões em flagrante de suspeitos se acionados ou se estiverem presentes no momento do crime ou infração.

Polícia Militar

Já a Polícia Militar (PM) informou que trabalha em conjunto com a Guarda Municipal para realizar o patrulhamento na região. “Os espaços públicos municipais são de responsabilidade direta da GM, mas nós estamos realizando operações em conjunto com ela. Além do patrulhamento preventivo fardado, nós usamos também o Serviço de Inteligência para identificar os meliantes”, disse o coronel Zanatta, comandante do 12º Batalhão da PM, em entrevista à reportagem.

Além disso, ele orientou os frequentadores a ficarem atentos ao movimento no parque. “Muitas vezes nós vemos pessoas usando o celular ou totalmente alheias ao que acontece ao redor, o que pode aumentar o risco de abordagem por parte de criminosos”, concluiu.