Por Marina Sequinel e Juliano Cunha

(Fotos: Juliano Cunha – Banda B)

A ponte que divide o Jardim Itamarati da Vila São Pedro é dor de cabeça para os moradores do bairro Xaxim, em Curitiba, há pelo menos 30 anos. Feita de madeira, a estrutura está na situação “balança mas não cai” e apresenta riscos para quem tem de atravessar a rua Tenente Antônio Pupo, que passa pelo córrego Ribeirão dos Padilhas.

“Dá muito medo de passar por ali, ela está muito insegura. Todos usam o local, entre idosos, crianças e motociclistas. O corrimão está todo despregado e os usuários de drogas e vândalos estão desmanchando a passarela, piorando ainda mais a situação. Faz 40 anos que eu moro aqui e a ponte nunca foi trocada. Eu vou morrer e nada vai ser feito”, reclamou a aposentada Clementina Carmin, em entrevista à Banda B nesta sexta-feira (29).

Segundo Neuza Garcia, outra moradora da região, a Prefeitura faz alguns reparos eventualmente, mas o caso não é resolvido por completo. “Está tudo caindo do mesmo jeito. Além do mais, como não passa carro por ali, os bandidos usam a ponte para fugir da polícia, barrando as viaturas. Essa é a única passagem que nós temos e precisamos de uma estrutura melhor, de concreto”, afirmou ela.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que a passarela de pedestres passou em março por uma manutenção no tablado e instalação de guarda-corpos, uma proteção a meia altura, que resguarda as faces laterais da ponte. Novas alterações no local estão programadas para setembro.