Redação

O superintende da Delegacia de Pinhais, Osmair José Pereira da Silva, que foi baleado durante a rebelião na noite da última quinta-feira (9), abriu os olhos na tarde deste domingo (12). O policial levou um tiro no pescoço, passou por uma intervenção cirúrgica, mas continua em estado grave. Osmair está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Trabalhador, no bairro Portão, em Curitiba.

O policial Urubatan dos Santos Gonçalves também saiu ferido, mas seu estado de saúde é estável. O policial Bordignon que levou um tiro no braço passa bem. O detento Murilo da Silveira Amorim, que baleou o superintende, também está internado na UTI em estado grave, no Hospital Cajuru. Ele foi ferido por três disparos de arma de fogo durante a troca de tiros.

Há marcas de tiros pelas paredes de toda a delegacia. O delegado Fabio Amaro faz operação conjunta com a Polícia Militar (PM) para conseguir capturar os foragidos.

Recapturado

Um dos foragidos foi recapturado na tarde deste domingo no bairro Capão da Imbuia, em Curitiba. Jefferson Luis Lovizotto estava na casa de parentes quando policiais receberam a denúncia. Ele não reagiu à prisão. Dos 15 foragidos, 9 foram recapturados.

Quem tiver informações sobre os presos entrar em contato com a Delegacia de Pinhais pelo telefone: (41) 3665-5250.

Rebelião

A confusão começou na hora da entrega das marmitas, por volta das 18 horas, quando as refeições que serviriam aos 108 presos estavam sendo entregues. Ao mesmo tempo em que alguns criminosos entravam pela porta da frente da Delegacia, outros saíam das celas já atirando contra os policiais. Houve uma intensa troca de tiros e dois policiais civis foram baleados. Com a chegada da Polícia Militar ao local os presos ficaram encurralados, mas 15 deles conseguiram fugir. Os policiais militares tinham como função resgatar os investigadores que estavam baleados dentro da Delegacia.