Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Foto: Arquivo Familiar

Foto: Arquivo Familiar

A Polícia Civil não acredita que a morte do empresário Adilson José de Oliveira, de 37 anos, esteja relacionada com o assalto do cofre da família, fato este que aconteceu um dia antes do crime em uma autopeças de Cascavel, na região oeste do estado. Em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (17), a delegada Mariana Manso Vieira disse que as investigações estão avançadas e em poucos dias deve ser apresentada a solução do crime. Oliveira morou por anos em Curitiba e estava no município do oeste há cerca de um ano e meio.

“Acreditamos que o assalto e a execução sejam situações distintas, uma vez que as câmeras de segurança da autopeças foi levada no dia do crime, então o autor do homicídio era alguém que conhecia o empresário e planejou muito bem o crime”, disse.

O assassinato aconteceu no último dia 26 de março no pátio autopeças. Um funcionário foi quem encontrou o corpo. Policiais da Delegacia de Homicídios estiveram na cena do crime e constataram que ele foi morto com 17 facadas.

Segundo a delegada Mariana, o objetivo da delegacia é concluir o caso nos próximos dias e com as prisões realizadas.

Notícias Relacionadas:

Polícia investiga morte de empresário degolado em Cascavel