Policiais da Delegacia de Campo Largo não dormiram neste domingo (10) para investigar um caso de sequestro que pode ter sido uma falsa comunicação de crime. Um motorista de ônibus jura ter passado quase dois dias nas mãos de bandidos, mas a polícia suspeita que ele possa ter aprontado alguma e criado isto como uma justificativa para a esposa.

A delegada de Campo Largo, Gisele Durigan, afirmou à Banda B que o rapaz sumiu desde a última sexta-feira (8) e só manteve contato com a esposa. “Ele ligava para ela falando que estava sequestrado e fomos acionados. O detalhe é que quando nós ligamos e ele atendeu, o celular parou de funcionar. Daí hoje, o rapaz voltou para casa liberado, isto nos pega um pouco de surpresa”, disse.

Para a delegada, não está descartada a hipótese de que a suposta vítima estava aprontando alguma coisa. “Pode ser que ele tenha recebido o salário e gastado, a história não está bem contada. O que sabemos é que ele jura que foi e pode até mostrar o cativeiro. A mulher também acredita na história. Vamos ouvir este rapaz e em breve teremos novidade se foi um sequestro ou não”, destacou.

Outro fato que chama a atenção é por qual motivo o motorista teria ficado tanto tempo com os sequestrados sem nada ter sido levado, nem mesmo o carro, já que ele voltou para casa assim. “Talvez tenha gastado o salário e quis se justificar a esposa de alguma forma. Vamos ver”, concluiu a delegada.