Por Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou, com o apoio da Receita Federal do Brasil, a Operação Sustenido na manhã de hoje, 22/05, para desmantelar uma organização criminosa que praticava os crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas há mais de três anos.

A quadrilha, enraizada em Foz do Iguaçu/PR e no Paraguai, contava com o apoio de funcionários de instituições financeiras de Foz do Iguaçu, além de dezenas de pessoas físicas que, em troca de remuneração, conscientemente, emprestaram seus nomes para a constituição de cerca de 46 empresas fictícias. Em curto lapso temporal, as contas dessas empresas movimentaram grande quantia de dinheiro ilegal, estimado em mais de R$ 300 milhões.

Durante nove meses de investigação, apurou-se que o responsável pelas 46 empresas “fantasmas” e “de fachada” pagava boletos bancários de duas grandes empresas de Foz do Iguaçu/PR. Como compensação, os proprietários dessas empresas disponibilizavam o valor correspondente ao pagamento dos boletos numa outra grande empresa deles, sediada no Paraguai (uma sociedade anônima paraguaia).

No país vizinho, o dinheiro correspondente ao pagamento dos boletos era transferido da sociedade anônima para uma casa de câmbio paraguaia e, em seguida, desta para lojistas e traficantes paraguaios. Após receber o dinheiro, estes últimos enviavam mercadorias e drogas para os empresários e traficantes brasileiros que haviam remetido o dinheiro para as 46 empresas fictícias.

O nome da operação é uma referência à teoria musical, visto que o “sustenido” é uma nota intermediária entre duas outras notas e, assim como o “sustenido”, a organização criminosa desarticulada representava um grupo intermediário, mais precisamente um elo entre o Brasil e o Paraguai.

A organização era responsável por lavar vultosa soma de dinheiro ilegal enviada por diversas pessoas físicas e jurídicas dos mais diversos Estados do Brasil e também se incumbia de enviar esse mesmo dinheiro para o Paraguai.

Para a deflagração da operação, foram empregados 140 policiais federais e 22 servidores da Receita Federal. Estão sendo cumpridos 6 mandados de prisão preventiva, 28 mandados de prisão temporária, 6 mandados de condução coercitiva e 43 mandados de busca e apreensão nas cidades de Foz do Iguaçu/PR e Medianeira/PR.

Todos os envolvidos serão processados pela prática dos seguintes delitos: organização criminosa transnacional; fazer/operar instituição financeira sem autorização; lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Será concedida entrevista coletiva à imprensa na sede da Polícia Federal, em Foz do Iguaçu, às 10h15.