Redação com Polícia Federal

UFPR, praça Santos Andrade. Foto: Ricardo Almeida/SMCS

A Polícia Federal, em ação conjunta com a Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União, deflagrou na manhã desta quarta-feira (15) a Operação Research com o objetivo de apurar a prática de desvio de recursos públicos destinados à Universidade Federal do Paraná. O objetivo é apurar o repasse irregular de recursos mediante pagamentos sistemáticos, fraudulentos e milionários de bolsas a inúmeras pessoas sem vínculos com a instituição no período entre 2013 e 2016.

Segundo a PF, até às 8 horas, 27 pessoas já tinham sido presas. Entre os presos estão Tânia Maria Catapan, que é secretaria executiva da pró-reitoria de pesquisa e pós-graduação da UFPR, e Conceição Abadia de Abreu Mendonça – chefe do setor de orçamento e finanças do mesmo setor. As prisões têm prazo de cinco dias e podem ser prorrogadas pelo mesmo período ou convertidas para preventivas, que é quando os presos ficam detidos por tempo indeterminado.

Ordens judiciais

Cerca de 180 policiais federais, 06 servidores da Controladoria Geral da União e 04 dos quadros do Tribunal de Contas da União estão cumprindo 73 ordens judiciais: 29 mandados de prisão temporária, 8 conduções coercitivas e 36 mandados de busca e apreensão nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Conforme a investigação conjunta dos órgãos envolvidos na apuração, foram reunidos indícios concretos da realização de fraudes em pagamentos (desvio de recursos públicos federais) realizados no período de 2013 a 2016 a título de Auxílio a Pesquisadores, Bolsas de Estudo no País e Bolsas de Estudos no Exterior a diversas pessoas desprovidas de regular vínculo de professor, servidor ou aluno da Universidade Federal do Paraná. Dentre os fatos até então apurados se detectou a participação de ao menos dois funcionários públicos federais nas fraudes, resultando na prisão cautelar de ambos.

O nome da operação é uma referencia ao objetivo central das bolsas concedidas pela unidade, destinada a estudos e pesquisas pelos contemplados.

Os investigados estão sendo levados às sedes da Polícia Federal nas respectivas cidades onde foram localizados a fim de prestarem os esclarecimentos necessários. Quanto aos presos encontrados no estado do Paraná, todos serão trazidos a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, assim como será feito com os presos no Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro que seguirão para as respectivas Superintendências da Polícia Federal.

CURITIBA
20 (vinte) mandados de busca e apreensão
08 (oito) mandados de condução coercitiva
12 (doze) mandados de prisão temporária

ALMIRANTE TAMANDARÉ
01 (um) mandado de busca e apreensão
01 (um) mandado de prisão temporária

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS
08 (oito) mandados de busca e apreensão
08 (oito) mandados de prisão temporária

ANTONINA
01 (um) mandado de busca e apreensão
01 (um) mandado de prisão temporária

FRANCISCO BELTRÃO
01 (um) mandado de busca e apreensão
01 (um) mandado de prisão temporária

PONTA GROSSA
01 (um) mandado de busca e apreensão
01 (um) mandado de prisão temporária

ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RIO DE JANEIRO
01 (um) mandado de busca e apreensão
01 (um) mandado de prisão temporária

ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL

CAMPO GRANDE
02 (dois) mandados de busca e apreensão
04 (quatro) mandados de prisão temporária

MARACATU
01 (um) mandado de busca e apreensão
01 (um) mandado de prisão temporária

Notícia Relacionada: