Amri é apontado como autor do ataque. (Foto: BKA/Reuters)

O Ministério do Interior da Tunísia disse neste sábado que a polícia prendeu o sobrinho de Anis Amri e dois outros suspeitos de pertencerem à mesma rede extremista. De acordo com comunicado do ministério, Amri – apontado como responsável pelo ataque com um caminhão na segunda-feira em Berlim, que deixou 12 mortos – tinha enviado dinheiro a seu sobrinho Fedi, de 18 anos, para que ele fosse encontrá-lo na Europa. Ainda não se sabe se os suspeitos ajudaram Amri a fugir de Berlim. O sobrinho foi preso na cidade de Oueslatia e os outros dois suspeitos, em Túnis.

Ainda neste sábado, o ministro do Interior da Espanha, Juan Ignacio Zoido, disse que a polícia está investigando se Amri esteve em contato com outro possível extremista na Espanha. Segundo Zoido, autoridades alemãs disseram que Amri tinha estabelecido um contato no país. “Estamos estudando todas as possíveis conexões entre Amri e nosso país, principalmente com uma pessoa específica”, disse.

Amri foi morto na sexta-feira durante um tiroteio em Milão, informou o ministro do Interior da Itália, Marco Minniti. Segundo o ministro, Amri foi abordado por policiais enquanto caminhava pelo bairro de Sesto San Giovanni, durante uma checagem de rotina. Minniti disse que o suspeito sacou uma arma e começou a atirar assim que os policiais solicitaram seus documentos. Os oficiais revidaram e o mataram a tiros.

O ataque ocorrido no começo da semana em Berlim deixou 12 mortos e dezenas de feridos. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.