Da Redação

Os dois policiais militares apontados pelas investigações como acusados pela chacina que matou quatro pessoas da mesma família, em junho desse ano no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, participam na noite desta segunda-feira (11) de uma reconstituição simulada dos fatos. No último dia 29, os soldados Alisson dos Santos Cszulik, 23 anos, e Michel Diel, 31 anos, se apresentaram na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e afirmaram que são inocentes. A reconstituição começou as 18h30.

reconstituição

Os soldados Alisson e Michel, com o advogado Cláudio Dalledone (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

De acordo com as investigações, a dupla teria ido até a residência da família na tarde do crime com uma viatura caracterizada e cometido os crimes. O inquérito que aponta a acusação dos policiais diz que eles usaram drogas com as vítimas antes do crime e cobravam valores mensais de traficantes da região para fazer ‘vistas grossas’. O advogado da dupla porém, Cláudio Dalledone, afirma que um carro para em frente a casa da família e três homens invadem o local.

Para os soldados, a imagem é rústica e de baixa qualidade. “Não tem como ver e identificar dessa forma. A gente atendia ocorrências e agia de forma preventiva, disse Michel. Eles negaram que soubessem de qualquer informação sobre um tráfico de drogas na casa das vítimas.

Na chacina foram executados: Jaqueline Garcia, 33 anos, que estava grávida de 6 meses; os dois irmãos adolescentes, Kauane Garcia Dias de Farias, 17 anos, e Ailton Augusto Dias de Farias, 14; e o alvo da execução identificado como Jonathan Pereira Veloso, 29 anos. Uma criança de 5 anos, filha do casal, foi poupada e encontrada pelas ruas gritando por socorro.

Notícias Relacionadas:

PMs acusados de matar família em chacina se entregam, mas negam os crimes

Soldados da PM são apontados como autores de chacina que matou 4 da mesma família

Quatro morrem em chacina e criança de 5 anos poupada corre para as ruas pedir socorro; alvo era esse homem

Polícia já sabe o que motivou chacina que matou quatro da mesma família em Curitiba