A Prefeitura, a Polícia Militar e o Instituto Paz no Trânsito vão trabalhar em parceria para intensificar a aplicação da Lei Seca em Curitiba. A partir de junho, haverá mais blitze na cidade. Paralelamente, será realizada uma grande campanha de mídia, elaborada pela Prefeitura, além de outras iniciativas para conscientizar a população do perigo de dirigir sob o efeito de álcool. As medidas foram definidas durante reunião nesta segunda-feira (13), na sede do Comando-Geral da PM.

SMCS
Blitze vão aumentar a partir de junho

“A Lei Seca está implantada há um bom tempo e a orientação do prefeito Gustavo Fruet é para termos tolerância zero com o álcool no trânsito de Curitiba, evitando mortes em acidentes. Precisamos humanizar mais a convivência na nossa cidade”, afirmou o secretário extraordinário de Relações com a Comunidade, Caíque Ferrante. Segundo ele, a realização de mais blitze e ações educativas ajudará a evitar a mortandade e a criminalidade causadas pela bebida.

A fiscalização da Lei Seca irá acontecer quase que diariamente na capital, com trabalho conjunto do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) e Guarda Municipal.

A campanha de mídia desenvolvida pela Prefeitura tem como mote “Lei Seca – Vai pegar”. Estão previstos anúncios em mobiliário urbano, ônibus e internet, além de ações em bares e estabelecimentos noturnos. A Polícia Militar colocou seu efetivo à disposição da campanha e deve ceder cadetes da Academia de Polícia para as fiscalizações educativas que deverão ser organizadas pela Setran.

“A campanha pelo respeito à Lei Seca proposta pela Prefeitura é uma brilhante iniciativa, que vai ajudar muito o trabalho já realizado pela PM no trânsito de Curitiba. O que estiver ao nosso alcance será feito para que a campanha decole. Com as parcerias, teremos segurança constante na cidade”, disse o comandante Geral da PM, coronel Roberson Luiz Bondaruk.

Para a presidente do Instituto Paz no Trânsito, Christiane Yared, a parceria entre todos os órgãos envolvidos com o trânsito da cidade fará a diferença para a mudança do comportamento das pessoas. “Esta junção de forças vai salvar muitas vidas. A sociedade está pedindo isso e temos agora uma grande possibilidade de mudança de comportamento. Esta campanha tem que ser constante, deve continuar nas próximas gestões de Curitiba e se estender a todo o País”, afirmou.