Redação com SMCS

mobilidade

Foto: SMCS

Foi aberta nesta terça-feira (19), com a publicação de aviso sobre o processo, a licitação internacional para contratação da empresa que fará a Pesquisa Metropolitana de Mobilidade Integrada, um amplo levantamento de deslocamentos da população da capital e municípios da área central da região metropolitana. Os interessados deverão apresentar suas propostas até as 14h30 do dia 7 de outubro. As propostas serão abertas no mesmo dia, em sessão pública no auditório do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc). A previsão é que a pesquisa comece em dezembro.

A pesquisa – a primeira do gênero na região – recolherá dados que permitirão um planejamento mais adequado não apenas da oferta de transporte público e infraestrutura (a partir da revisão do Plano de Mobilidade), mas do uso do espaço urbano como um todo.

A previsão é que a pesquisa abranja entre 14 e 16 municípios do núcleo central da região metropolitana. Ela será desenvolvida ao longo de 18 meses. Serão realizadas 16 mil entrevistas domiciliares, abrangendo cerca de 56 mil pessoas. As entrevistas objetivam identificar o volume e as características dos deslocamentos dos moradores: de onde vêm, para onde vão, como e quando vão.

Além disso, o trabalho inclui contagens de veículos, passageiros e velocidade média em mais de 1 mil locais e rotas, e a montagem de um modelo de transporte para a região.

O levantamento será, portanto, muito mais amplo do que uma pesquisa de origem-destino de usuários do transporte público. Os dados sobre deslocamentos dentro da Rede Integrada de Transporte serão recolhidos por uma outra pesquisa, contratada pela Coordenação da Região Metropolitana, e agregados às informações da pesquisa que a Prefeitura contratará, complementando o diagnóstico.

O custo da pesquisa é estimado em R$ 6,1 milhões – dos quais R$ 1,5 milhão serão financiados pela Agência Francesa de Desenvolvimento e o restante virá de recursos próprios da Prefeitura.

Edital

A licitação para contratação da pesquisa é do tipo técnica e preço. As empresas interessadas devem apresentar envelopes contendo, separadamente, proposta técnica, proposta de preço e documentos de habilitação. Os envelopes devem ser protocolados no serviço de protocolo do Ippuc, na Rua Bom Jesus, 669, bairro Cabral.

O edital e seus anexos podem ser lidos no próprio Ippuc, adquiridos ao custo de R$ 10 ou encontrados no site do Ippuc (www.ippuc.org.br ) ou no Portal da Transparência do Município (www.transparencia.curitiba.pr.gov.br).

Cenários

Depois de analisados e cruzados com outras informações, os dados da pesquisa servirão de base para a elaboração de cenários relacionados à mobilidade urbana – ajudando, por exemplo, a definir a criação de novas ligações viárias, novos modais de transporte e a oferta de novas linhas nos modais atuais. Permitirão também identificar os fluxos de transporte de carga em Curitiba e municípios vizinhos e desenvolver um modelo de transporte para a região.

“A pesquisa de mobilidade é um elemento central no tratamento da questão do transporte e essencial ao planejamento urbano”, afirma o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Pires. O diretor da área de Informações do Ippuc, Oscar Schmeiske, explica que os dados da pesquisa serão cruzados com variáveis como características sócio-econômicas, aspectos físicos e urbanos da ocupação. “Com isso será possível projetar os desejos de deslocamento da população e direcionar o desenvolvimento da cidade para melhor se adequar a essas necessidades. Isso pode incluir novas maneiras de uso do solo e ocupação da cidade”, diz Schmeiske.