O Governo do Estado – por meio da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e da Coordenadoria da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) – a Urbanização de Curitiba (Urbs) e Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) fecharam acordo nesta quarta-feira (27/03) para realizar uma pesquisa inédita sobre a origem e o destino dos passageiros que utilizam a Rede Integrada de Transporte (RIT), que atende a Capital e outros 12 municípios.

O objetivo é estabelecer o custo real da passagem de ônibus de cada linha que compõe a Rede Integrada de Transporte de Curitiba e região. A opção feita em conjunto por todas as partes foi pela realização de uma pesquisa domiciliar, com os custos divididos em três partes iguais.

A escolha da metodologia foi técnica, uma vez que permitirá fazer o zoneamento, conhecer os diferentes deslocamentos dos usuários, as distâncias percorridas em ônibus, a pé, de bicicleta ou com outro meio de locomoção. Desta forma, o levantamento abrangerá um contexto maior e ainda poderá incluir a sistematização dos dados da bilhetagem eletrônica e outras ações que forem necessários conforme a demanda levantada.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, disse que “a transparência no processo de licitação, a seriedade no projeto de construção de um novo modelo gestor para o transporte público, com visão para 20 ou mais anos, e a consolidação da confiança entre as partes devem ser preservados por todos”.

O presidente da Urbs, Roberto Gregório, disse tratar-se de uma situação singular. “Estamos vivendo um momento único, de transformação de governança, na busca de construir soluções para este e os próximos convênios”.

Na reunião foi acordada ainda a realização de três reuniões técnicas. Uma para a operacionalização e efetivação da pesquisa origem/destino; outra, até 7 de maio, para a estrutura de custos das tarifas, com um possível convênio para solucionar a questão; e um terceiro encontro, a partir de 8 de maio, para manter a Rede Integrada de Transporte.

O grupo também elegeu o diretor de Transportes da Comec, Carlos do Rego Almeida Filho, secretário-executivo das três próximas reuniões, das quais devem participar um representante e assessores jurídicos de cada parte.

AUDITORIA – O secretário Ratinho Junior pediu informações sobre o andamento da auditoria que está sendo feita pela Urbs no sistema de transporte coletivo. Para ele, os dados também vão ajudar a definir o custo real das tarifas. O presidente da Urbanização de Curitiba afirmou que o processo está na etapa final e logo será concluído e apresentado a todos.

O assessor jurídico da secretaria, Luciano Gomes, e o diretor-presidente da Comec, Gil Fernando Polidoro, lembraram o acórdão divulgado há algumas semanas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que define a co-responsabilidade dos municípios das regiões metropolitanas das capitais do País, junto aos governos estaduais, na busca de soluções para as questões que afetam a vida da população.

Os presidentes da Comec e da Assomec e o prefeito de Pinhais, Luiz Goulart, também abordaram a necessidade de se chegar à proporcionalidade para ajustar os custos de cada linha. Há muitos fatores a serem estudados, como a quilometragem de trechos percorridos, passagens gratuitas para idosos, militares e funcionários dos Correios, entre outros. “Temos que pensar nestas e em todas as questões futuras, mas o convênio que dará início às primeiras soluções é pra já”, disse o secretário Ratinho Junior.

Também participaram da reunião o coordenador da Região Metropolitana de Curitiba, Rui Hara; o diretor-geral da Secretaria do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega; o procurador jurídico Luciano Borges e o assessor da mesma secretaria, Arthur Buck; o diretor de Transportes da Urbs, Antônio Carlos Araújo, e o diretor jurídico da Urbs, Rodrigo Grevetti.