A Universidade Estadual de Maringá (UEM) assinou convênio com a empresa Recco Lingerie, para fabricar e comercializar uma peça criada a partir da pesquisa de mestrado, desenvolvida pela enfermeira Anita Batista dos Santos Heberle, do Banco de Leite Humano do Hospital Universitário.

O convênio estabelece que a Recco desenvolva um protótipo baseado no design criado pela pesquisadora e avalie a viabilidade de mercado do produto que, se chegar às prateleiras, poderá render patente e royalties à UEM e à enfermeira. “Estamos felizes em poder colocar conhecimento desenvolvido através da pesquisa em prol da comunidade”, comentou o reitor Júlio Santiago Prates Filho.

O trabalho vem sendo realizado pelo Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da UEM. A ideia é formalizar uma política institucional de inovação capaz de facilitar a identificação, a formalização, a proteção legal e a comercialização dos resultados das atividades inovadoras desenvolvidas no âmbito da universidade.

POTENCIAL – A ideia do produto nasceu, segundo Anita Heberle, logo depois que ela concluiu o mestrado em Tecnologia em Saúde, em 2011, em Curitiba. Ela diz que a proposta está relacionada com sua pesquisa, aliada à experiência profissional de mais de 15 anos no Banco de Leite Humano do HU. Sobre o potencial do produto, o criador da empresa, Antonio Recco, conta que a peça se encaixa em uma linha de produção que hoje responde por 9% do faturamento da empresa.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UEM, Mauro Ravagnani, espera que o convênio com a Recco Lingerie seja o primeiro de muitos que podem ser firmados dentro de uma política de inovação da UEM voltada para a transferência de tecnologia de pesquisa para o setor produtivo. Ravagnani aposta no crescimento dessa demanda e no estabelecimento de uma política interna capaz de garantir a infraestrutura necessária para o desenvolvimento do NIT.