Os pedidos de falência apresentaram queda no primeiro trimestre deste ano, segundo levantamento divulgado hoje (8) pela empresa de consultoria Serasa Experian. Foram 424 requerimentos de janeiro a março de 2013, contra 449 em igual período do ano anterior.

Do total de pedidos de falência nos três primeiros meses deste ano, 264 foram feitos por micro e pequenas empresas, 103 por médias e 57 por grandes. Para os economistas da Serasa, a recuperação gradual da economia e o recuo na inadimplência do consumidor facilitou a melhoria da situação financeira das empresas, contribuindo para a queda nos requerimentos de falências.

As recuperações judiciais requeridas apresentaram elevação, passando de 199 no período de janeiro a março de 2012 para 247 durante o mesmo período deste ano. A Serasa atribui esse aumento ao fato de a atual recuperação da atividade econômica ainda não ocorrer de forma generalizada entre os setores.

As falências decretadas subiram de 148 no primeiro trimestre de 2012 para 154 no mesmo período deste ano. Segundo a Serasa, esses números não refletem a presente conjuntura, já que há longa tramitação até a decisão judicial. Mas, entre as razões da alta, estão a permanência das dificuldades financeiras em empresas de setores mais sensíveis à crise externa e ao baixo crescimento doméstico.