Pedestres e pessoas que se locomoviam em motos (pilotando ou na garupa) formam a maior parte das vítimas de trânsito em Curitiba, de acordo com dados do primeiro semestre de 2012 divulgados nesta quinta-feira (21) pelas secretarias municipais de Saúde (SMS) e de Trânsito (Setran). Os dados fazem parte do projeto Vida no Trânsito em Curitiba, que integra uma ação do governo federal para reduzir as lesões e as mortes no trânsito do país. A análise também confirma que uso de álcool, excesso de velocidade e desrespeito à sinalização estão entre as principais causas de acidentes em ruas, avenidas e rodovias.

Divulgação

A primeira análise divulgada pelo projeto baseia-se em dados do primeiro semestre de 2012. No período, houve 138 acidentes que resultaram em 144 mortes no trânsito da capital paranaense (outras sete mortes foram registradas após mais de 30 dias dos acidentes). Das vítimas, 60 são pedestres, 39 motociclistas ou garupa, 22 condutores de veículos leves, 11 passageiros de veículos leves, 9 ciclistas, 1 condutor ou passageiro de veículo pesado, 1 condutor de ônibus e 1 vítima de categoria ignorada.

Dos 138 acidentes, foram analisados 83, sendo 49 em ruas e avenidas e 34 em rodovias, e que resultaram em 88 mortes. O comitê levantou os fatores de riscos e as condutas de risco nos acidentes analisados.

Os três principais fatores de risco causadores dos acidentes em ruas e avenidas foram, pela ordem: uso de álcool, excesso de velocidade e problemas de infraestrutura. Nas rodovias, os principais fatores de riscos causadores dos acidentes foram, pela ordem: excesso de velocidade, problemas de infraestrutura e uso de álcool.

As três principais condutas de riscos causadoras dos acidentes nas ruas e avenidas foram, pela ordem: desrespeito à sinalização, falta de habilitação e transitar em local proibido. Nas rodovias, as principais condutas de risco causadoras de acidentes foram, pela ordem: transitar em local impróprio, desrespeito à sinalização e transitar em local proibido.

Nos casos analisados, os usuários do trânsito que mais contribuíram para os acidentes foram, pela ordem: condutores de veículos leves, motociclistas e pedestres.