Da Agência Estadual de Notícias

Com o feriado prolongado – Sexta-feira da Paixão e Tiradentes – uma boa alternativa de viagem é conhecer os Parques Estaduais do Paraná. O Estado possui 68 Unidades de Conservação, gerenciadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Dessas, 29 são abertas para visitação com infraestrutura para receber e atender o público.

Parque Estadual Rio das Onças. Foto: Divulgação

Parque Estadual Rio das Onças. (Foto: Divulgação)

“Além das belezas naturais, passeios de aventura e vídeos explicativos sobre a fauna e flora local, os parques estaduais são uma forma de conhecer também a história do Paraná. São uma boa alternativa para famílias, jovens e turistas que procuram opções de lazer aliadas ao contato com a natureza”, diz a presidente da Paraná Turismo, Juliana Vosnika.

De acordo com o presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto, manter as Unidades de Conservação abertas para visitação é uma maneira de promover a educação ambiental da população.

“A gente só preserva aquilo que a gente conhece. Incentivar o lazer em locais onde a estrutura e o ambiente permitem é uma maneira de proporcionar esse conhecimento”, disse. Ele explica que cada Unidade de Conservação oferece um passeio diferenciado, que atende diversos gostos e estilos. Em algumas as trilhas são mais extensas, com obstáculos que exigem mais preparo físico. Outras oferecem infraestrutura e conforto e a opção de uma leve caminhada”.

É importante lembrar que os visitantes devem tomar alguns cuidados durante os passeios pelos parques, para garantir a preservação dos locais. As medidas incluem o descarte correto do lixo, não pisar na vegetação e não utilizar churrasqueiras. Os cuidados servem para evitar impactos ambientais em função do aumento do número de visitantes durante o feriado.

Os parques do Estado oferecem diferentes atrações e são procurados de acordo com o perfil dos visitantes. Confira os atrativos de algumas Unidades de Conservação:

GRANDE CURITIBA – O Parque Estadual de Campinhos, em Tunas do Paraná, na Região Metropolitana de Curitiba, é uma boa opção de lazer. Sua principal atração é a Gruta dos Jesuítas, a 5ª maior do Estado, com salões de aproximadamente 550 metros de extensão, estalagmites e estalactites. No local também é possível fazer caminhadas pela Trilha da Floresta, de mata nativa, onde os visitantes podem conhecer diversas espécies de plantas da região.

O parque recebe o público de quarta-feira a domingo e também nos feriados, das 9h às 16h. A visitação à gruta termina às 15h30 (somente para grupos pré-agendados). Para agendar visitas e obter mais informações, o telefone de contato é (41) 3659-1428.

LITORAL – O Parque Florestal Rio das Onças possui trilhas em que os visitantes podem descobrir mais sobre as espécies presentes no Litoral do Estado. No município de Matinhos o local está aberto à visitação, de terça-feira a domingo, e nos feriados, das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h30. O telefone de contato é o (41) 3453-2472. Na segunda-feira (21) o local fecha para manutenção e trabalhos internos.

O Caminho do Itupava também é uma boa opção para aqueles que querem fazer trilhas em mata fechada em plena Serra do Mar e aprender um pouco sobre a história do Paraná. É um trajeto histórico e de grande importância ecológica que liga o Parque Estadual da Serra da Baitaca e o Parque Estadual do Marumbi. O Caminho foi, por muitos séculos, a principal ligação entre a planície litorânea e o primeiro planalto paranaense.

CAMPOS GERAIS – O Parque Estadual de Vila Velha é o mais antigo dos parques estaduais e um dos mais visitados do Paraná. Os arenitos são a principal atração da unidade, que conta com toda estrutura necessária para atendimento aos visitantes sem causar impactos negativos a um importante patrimônio geológico.

A Lagoa Dourada é outro atrativo da área pela cristalinidade de suas águas e seus inúmeros cardumes. As Furnas também merecem destaque em função da peculiaridade dessa formação, além de serem locais propícios para a prática de atividades integradas à natureza.

O Parque Vila Velha está localizado no município de Ponta Grossa e fica aberto de quarta à segunda-feira e, nos feriados, das 8h30 às 15h30. O telefone é (42) 3228-1539.

NORTE – O Parque Estadual Mata São Francisco, em Cornélio Procópio, possui uma trilha de 1,6 mil metros e duas pontes de onde é possível observar a paisagem formada pela vegetação característica do bioma da Mata Atlântica. O local abre para visitação de quarta-feira a domingo, das 8h às 17h. As visitas devem ser agendadas previamente pelo telefone (43) 3523-2659.

Outra opção é o Parque Estadual Mata dos Godoy, que fica em Londrina e tem área de 690,1 hectares. Foi criado para proteger um dos últimos remanescentes de Floresta Subtropical. Existem 3 trilhas abertas à visitação – Trilha do Projeto Madeira, Trilha Interpretativa ou das Perobas e Figueiras e a Trilha Álvaro Godoy ou dos Catetos. Além do lazer em contato com a natureza, as trilhas são utilizadas pesquisa e educação ambiental. O parque funciona de terça a sexta-feira, das 08h30 às 17h30, e aos domingos e feriados, das 13h30 às 17h. Agendamentos pelo telefone (43) 3373-8700

NOROESTE – O Parque Estadual Lago Azul fica em Campo Mourão e é aberto à visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 17 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 17 h. O telefone de contato é (44) 3523-1185. Além da paisagem, o Parque Lago Azul possui trilhas exclusivas para apreciação da fauna e flora local. Na segunda-feira (21) o local fecha para manutenção e trabalhos internos.

REGIÃO OESTE – O Parque Cabeça do Cachorro fica no município de São Pedro do Iguaçu e está aberto à visitação de terça-feira a domingo e também nos feriados, das 8 às 18h. O telefone de contato é (45) 3255-1007. Na segunda-feira (21) o local fecha para manutenção e trabalhos internos.

Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em: http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

Normas dos Parques Estaduais

– Não usar fogo, o que inclui não armar fogueiras, não utilizar churrasqueiras, não soltar fogos de artifício e não queimar lixo, inclusive, na área do entorno dos parques.

– Não entrar com animais domésticos, exceto cães-guias (Lei Federal nº 11.126 de 2005). Eles podem transmitir ou contrair doenças, introduzir espécies que não são da região, caçar animais silvestres ou oferecer riscos aos visitantes.

– Não utilizar equipamentos sonoros ou qualquer outro que possa produzir ruído para não estressar os animais, que pode provocar agitação ou a dispersão deles da região.

– Descartar o lixo de forma correta. Os resíduos gerados devem ser colocados nas lixeiras disponíveis ou recolhidos em sacolas para posterior destinação adequada.

– Não utilizar barcos a motor ou pescar no interior das unidades.