A Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior realiza, na próxima segunda-feira (11), o primeiro workshop regional para implantação do projeto do Parque Tecnológico Virtual do Paraná. O encontro acontece em Cascavel, na Universidade do Oeste do Paraná (Unioeste). No prazo de um mês, o mesmo workshop será promovido nos polos de desenvolvimento tecnológico das demais seis universidades estaduais públicas do Paraná.

“O Parque Tecnológico Virtual é a integração dos ativos de inovação tecnológica e empresas de base tecnológica do Paraná em uma plataforma virtual para promover a cooperação entre empresas, governo, academia e entidades de pesquisa, desenvolvimento e inovação”, detalha o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal.

Na prática, o Parque Tecnológico Virtual é uma plataforma na qual os agentes interagem em um ambiente comum de gestão e inteligência competitiva. Podem participar instituições de pesquisa, parques, universidades, centros de promoção de empreendedorismo e incubadoras – entre outras entidades – de qualquer município do Paraná. O parque pretende atrair e trabalhar no desenvolvimento e na fixação de empresas de base tecnológica, também de todo território paranaense.

As empresas que aderirem à plataforma vão se beneficiar com o uso de serviços tecnológicos credenciados e serão acompanhadas de perto por um parque tecnológico, uma incubadora ou um núcleo de inovação, denominadas instituições âncora.

A apresentação da proposta de funcionamento do Parque Tecnológico Virtual do Paraná será feita por Júlio Felix, presidente do Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar), instituição responsável pela coordenação técnica do projeto.

TECNOVA PR – O secretário Alípio Leal informa que o Paraná vive hoje seu grande momento de inovação. Ele destaca a assinatura do decreto de regulamentação da Lei de Inovação pelo governador Beto Richa, no último dia 27, que cria benefícios e estabelece mecanismos de cooperação entre os setores público, privado e acadêmico para pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico no Estado.

Leal destaca também o aporte de R$ 15 milhões da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, para estimular e financiar a inovação nas pequenas e micro empresas de base tecnológica do Estado. Estes recursos serão geridos pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e operacionalizados pela Fundação Araucária, entidade vinculada à secretaria, por meio de um programa chamado Tecnova-PR.

O programa tem contrapartida do Governo do Paraná no valor de R$ 7,5 milhões, por meio do Fundo Paraná de Ciência e Tecnologia, o que permite, a princípio, investimentos de R$ 22,5 milhões. O secretário Leal adiantou que o governo pretende fazer um aporte adicional de mais R$ 7,5 milhões, totalizando R$ 30 milhões de recursos para incentivar a inovação no Paraná.

O Tecnova conta com parceria da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) para identificar e selecionar, junto ao setor produtivo, as micro e pequenas empresas que serão beneficiadas com esses recursos. O Tecpar também é parceiro e atuará na seleção e adesão das empresas ao Parque Tecnológico Virtual.

Os demais workshops sobre o Parque Tecnológico Virtual serão realizados em Londrina, no dia 14 de março; em Maringá, no dia 15; em Guarapuava, no dia 21; em Jacarezinho, no dia 22; em Ponta Grossa, no dia 27 e, em Curitiba, no dia 2 de abril.