Da AEN

O Paraná apresentou nesta terça-feira (09/07) ao governo federal projetos que somam R$ 1,25 bilhão para a realização de obras de mobilidade na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O Estado quer acessar recursos da União, que anunciou a disponibilidade de R$ 50 bilhões para financiar projetos em grandes centros urbanos.

As propostas foram apresentadas pelo vice-governador Flávio Arns e os secretários estaduais Cassio Taniguchi (Planejamento e Coordenação Geral), Ratinho Junior (Desenvolvimento Urbano) e Amauri Escudero Martins (Representação em Brasília) à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e ao ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro. O encontro aconteceu em Brasília.

O Corredor Metropolitano é a maior obra do pacote do governo paranaense. O eixo ligará sete municípios (Colombo, Pinhais, Piraquara, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Curitiba e Araucária) e terá aproximadamente 70 quilômetros de extensão. O projeto está orçado em R$ 707 milhões e vai facilitar a ligação entre as cidades mais populosas da RMC.

Outra importante obra reivindicada pela equipe de governo é a continuação da Linha Verde. Na região Norte de Curitiba, o projeto prevê a implantação de uma canaleta exclusiva para ônibus, ligando o terminal Atuba, na capital, ao terminal Alto Maracanã, em Colombo. Na parte Sul, está prevista a continuação da via, com uma faixa para ônibus entre o terminal Pinheirinho, em Curitiba, e Fazenda Rio Grande. O valor estimado é de R$ 350 milhões para os dois projetos.

Os outros dois projetos são: implantação de uma via exclusiva de ônibus ligando o terminal central de São José dos Pinhais ao terminal da Praça Rui Barbosa, no centro de Curitiba; e linha exclusiva de ônibus ligando o terminal de Pinhais até o centro da capital.

No primeiro, a Avenida Marechal Floriano Peixoto receberá três pistas até o centro de São José dos Pinhais, sendo a pista central exclusiva para ônibus. Atualmente, a linha segue até o terminal do Boqueirão. Na segunda, o mesmo seria feito com a Avenida Affonso Camargo, na altura da rodoferroviária. Os projetos custariam R$ 100 milhões cada.

INTERIOR – A comitiva paranaense também relatou à ministra a importância de investimentos como estes no interior dos estados, citando outras regiões metropolitanas importantes do Paraná, com a de Londrina e Maringá. “A ministra Miriam Belchior afirmou que o Paraná foi o único Estado a solicitar uma atenção especial também para o interior”, destacou o vice-governador Flávio Arns. Oito estados passaram pelo ministério até esta terça.

A reunião faz parte de uma programação de encontros dos ministros com representantes de Estados e capitais para a seleção de projetos de mobilidade urbana que poderão receber recursos da União, que anunciou ter R$ 50 bilhões disponíveis para financiar obras projetadas por governos estaduais e prefeituras.

No mesmo encontro, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, apresentou 11 projetos aos ministros na área de mobilidade urbana, no valor de R$ 3,25 bilhões. O maior valor é para a implantação de um traçado de 30 quilômetros para operação de um veículo leve sobre pneus (VLP), orçado em R$ 950 milhões.