Da Agência Estadual de Notícias

O Governo do Paraná formalizou em União da Vitória um pedido de auxílio da União no valor de R$ 159,6 milhões para a recuperação de rodovias danificadas pelas chuvas intensas de 6 e 7 de junho. O valor do pedido foi levantado pela Secretaria da Infraestrutura e Logística. Até agora, foram mapeados 1.755 quilômetros de estradas prejudicadas pela chuva, além da necessidade de reconstrução de três pontes. O ofício foi formalmente encaminhado para o Ministério da Integração Nacional.

estragos-chuvas(Foto: Francieli Kruk – Colaboração Portal A Rede)

No encontro com a presidente, Richa disse que a estimativa é que prejuízos totais do Paraná passem de R$ 1 bilhão. Em todo o Estado são 152 municípios atingidos e mais de 700 mil pessoas afetadas. O governador também reforçou a necessidade de o governo federal agilizar a liberação de recursos financeiros para atendimento emergencial às famílias paranaenses.

“Todos os pedidos foram feitos e agora aguardamos as respostas do governo federal”, afirmou o governador Beto Richa. “Lutamos pelos interesses legítimos do Paraná. É meu dever como governador fazer isso, para todos os municípios, sem distinção partidária”.

A presidente Dilma Rousseff afirmou que esse é o momento em que o governo federal, estados e municípios trabalharem juntos em ações emergenciais, para garantir a segurança das pessoas. “A etapa da reconstrução é diferente, implica em mais recursos, elaboração de projetos e escolher a forma de reconstrução para reduzir novos riscos”, explicou a presidente.

“Não vou chegar aqui com a pretensão de mandar fazer isso ou aquilo. O governo federal não vive aqui. O que garanto é que não mediremos esforços, nunca medimos, para apoiar e ajudar na reconstrução”, afirmou a presidente.

O chefe da Casa Militar e Coordenador Estadual da Defesa Civil, coronel Adilson Castilho, informou que Estado já solicitou ao Governo Federal, para ajuda humanitária, 12.200 conjuntos dormitórios e 14.200 para compra de alimentos. O valor soma R$ 2,12 milhões. “Foi noticiado sobre a liberação destes recursos, mas até agora eles não chegaram, não foram depositados na conta do Estado”, relatou ele na manhã desta terça.

Além disso, também foram pedidos R$ 3,15 milhões para aquisição de óleo diesel, que será usado pelas prefeituras na recuperação das estradas rurais, mais nove mil conjuntos de dormitórios e nove mil conjuntos de cozinha, além de 550 toneladas de ração animal. Para todos os pedidos, o governo federal solicitou planos detalhados.

Castilho informou que a União já encaminhou 4.200 kits dormitório e 4.200 kits alimentação, cujo valor foi estimado em R$ 996 mil pelo governo federal. O Exército também instalou uma ponte móvel em São João do Triunfo, nos Campos Gerais, orçada em R$ 75,35 mil.

O Governo do Paraná já liberou mais de R$ 20 milhões para atendimento às famílias paranaenses afetadas pelas chuvas e também para recuperação de pontos de rodovias e de pontes para restabelecimento da trafegabilidade.

Por meio do programa Família Paranaense, da Secretaria Estadual da Família e Desenvolvimento Social, foram destinados R$ 11 milhões para os municípios. O recurso atende pessoas que foram desabrigadas e desalojadas em função das enchentes. A Secretaria da Saúde liberou R$ 8 milhões do programa VigiaSus e para ações de controle e combate à dengue.

O governo estadual já encaminhou aos municípios 35.920 cobertores, 71.740 peças de roupas, 1.900 cestas básicas, 3.889 fraldas, 419 colchões, 3.978 kits dormitórios, 16 mil pacotes de salgadinhos, 450 latas de leite, 1.122 litros de leite, 149 conjuntos de cozinha, 8.567 litros de água e145 conjuntos de limpeza (detergente e água sanitária).

Os materiais são oriundos de estoques do Provopar e de doações da população e de entidades, recebidas pela Secretaria da Família, Defesa Civil e Provopar e encaminhadas ao interior.

União da Vitória

O município de União da Vitória decretou situação de calamidade pública em razão da cheia do rio Iguaçu. Mais de 52.600 pessoas foram afetadas e três mil residências ficaram danificadas. Uma pessoa morreu, 520 estão desabrigadas e 12.152 estão desalojadas.

Richa esteve em União da Vitória na segunda-feira (9) e na sexta-feira (13) para verificar a situação da cidade e acompanhar os trabalhos das equipes do governo estadual, em especial da Defesa Civil, no atendimento às pessoas atingidas.

Na quarta-feira passada (11) Richa determinou a instalação de uma unidade da Coordenaria Estadual de Proteção e Defesa Civil da Defesa em União da Vitória. Richa também liberou um helicóptero do Governo do Estado para ficar baseado na cidade. A aeronave atende toda a região Sul do Paraná. “Também um caminhão do Corpo de Bombeiros está aqui para prestar todo o atendimento à população neste momento mais crítico, emergencial”, afirmou o governador.

Já foram enviados à União da Vitória 2.000 cobertores, 3.030 peças de roupas, 400 kits dormitórios (colchão, lençol, fronha), 666 litros de leite, 466 cestas básicas, 1.745 litros de água, além de quatro toneladas de alimentos (hortifruti) doados pela Central de Abastecimento do Paraná (Ceasa).

Na área da saúde, o governo antecipou recursos do VigiaSUS aos municípios atingidos. União da Vitória recebeu R$ 65 mil e Rio Negro R$ 44 mil para compra de medicamentos, equipamentos de proteção individual ou pagar horas extras para servidores. O Governo do Paraná enviou material educativo e hipoclorito. Foram utilizados os estoques de vacinas e insumos da regional.

Estão sendo feitas vacinações contra a gripe e hepatite A para as pessoas albergadas, principalmente crianças e idosos. Também está sendo fornecido hipoclorito para a limpeza das casas e tratamento de água. Reforços de equipe nos postos de saúde abertos. Distribuição de material de prevenção e sintomas da leptospirose e orientações para o retorno as casas depois das enchentes.

Paraná

Mais de 773.500 pessoas foram afetadas, 32.456 estão desalojadas e 3.600 desabrigadas. Foram registradas 11 mortes. Mais de 14.700 residências foram danificadas.

Conforme levantamento da Defesa Civil do Paraná, 153 municípios sofrem as consequências das chuvas intensas. O governador Beto Richa decretou situação de emergência em 147 cidades. Com a medida, as prefeituras podem agilizar contratação de serviços, com menos burocracia, para prestar atendimento à população.