O governador Beto Richa recebeu nesta terça-feira (23), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, lideranças da Casa-BR (Centro de Apoio Sócio Ambiental do Brasil) e da Oscip Guarany (Organização Social e Etnocultural Indígena Teko Ñemoingo), que apresentaram dois projetos para a Copa do Mundo Fifa 2014.

Os projetos Caminhão da Copa e Museu Itinerante do Índio pretendem divulgar a cultura indígena Guarani e do Paraná antes e durante o mundial por meio de exposições. Ambos passaram por uma seleção e foram chancelados pelo Ministério dos Esportes e apoiados pela Fifa para que captem recursos e parcerias para sua viabilidade. A expectativa é que 360 mil pessoas conheçam os projetos apenas no Paraná.

“Fiquei impressionado com os projetos e vamos trabalhar para viabilizar essas propostas”, disse Richa. “É uma importante medida para mostrar e resgatar a cultura indígena”, ressaltou o governador, informando que o Governo estudará a melhor forma de apoiá-los.

“Jovem hoje em dia está perdendo este conhecimento e a gente tem que mostrar como era nosso passado, nossos equipamentos. Até nossos filhos cada vez mais estão perdendo isso”, ressaltou o presidente da Oscip Guarany, cacique Simão Tupã Vilialva.

Segundo ele, durante nove anos não houve contato direto entre aldeia e governo. “Não existia secretário, só representante que nunca conhecemos. Hoje, o governador mostrou que está interessado em melhorar isso”.

PROJETOS – Os projetos são promovidos pela Casa-BR, que recebeu no ano passado a chancela do Ministério do Esporte e do Grupo Executivo da Copa do Mundo Fifa 2014 (Gecopa) para divulgação do Paraná e do Brasil durante o mundial.

O Museu Itinerante do Índio é um projeto de divulgação e educação cultural. Um caminhão transportará uma exposição interativa que se transforma num auditório multimídia. Na primeira etapa, o acervo passará por 28 cidades do Paraná.

“Vários projetos para a população indígena existem. Só que não são da população indígena. Nunca a gente comandou. E este projeto nós vamos comandar, criar e viabilizar, tudo nós é que vamos manter”, ressaltou o cacique.

O Caminhão da Copa, que também é uma exposição itinerante, tem o objetivo de aumentar a percepção da população sobre a importância da Copa, com a apresentação de maquetes, painéis, réplicas, vídeos, fotografias, músicas, jogos e aplicações interativas. A primeira etapa ocorre no Paraná. Depois, cada cidade-sede terá seu próprio Caminhão da Copa.

“Concorremos com mais de 300 projetos e fomos os únicos selecionados do Paraná. A nossa intenção é elevar o nome do Estado para o Brasil e para o mundo”, disse Izabela da Silva Teixeira, diretora executiva da Casa-BR. Os dois projetos serão abertos a toda a população e gratuitos.

PAZ NO CAMPO – Durante a reunião, os participantes ressaltaram o bom diálogo e convivência indígena no campo, no Paraná. Richa afirmou que o governo tem demonstrado respeito às comunidades indígenas. “Assim como comunidades quilombolas, entre outras, as comunidades indígenas tem tido nosso respeito e apoio, com investimentos como construção de escolas e casas para suas famílias”, disse o governador.

“Hoje, o Governo do Estado está mais presente do que nunca nas questões fundiárias. São mais de dois anos de paz no campo, dialogando e resolvendo problemas”, ressaltou Hamilton Serighelli, assessor especial para Assuntos Fundiários. “O Serighelli entra na minha casa, toma café com a gente e conhece nossa realidade”, contou o cacique Simão.

No encontro, o governador autorizou o enviou de 100 cestas básicas para a aldeia Avá Guanany, no município de São Miguel do Iguaçu.

Participaram da reunião o secretário especial para Assuntos da Copa, Mário Celso Cunha, representantes da Oscip Guarany, da Casa-BR e da Comunidade Indígena Avá Guarany.