Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Foto: Juliano Cunha - Banda BFoto: Juliano Cunha – Banda B

Após receberem a informação de que um oficial de justiça, com uma ordem de suspensão da reunião do Conselho Universitário da Universidade Federal do Paraná, manifestantes contrários à adesão do Hospital de Clínicas à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) decidiram liberar as ruas do Centro que estavam bloqueadas. Segundo os manifestantes, o oficial ficou parado no intenso trânsito que se formou na reunião e por isso decidiram liberar a via.

A Rua Conselheiro Laurindo, entre as avenidas Presidente Getúlio Vargas e Silva Jardim, chegou a ficar bloqueada por duas horas e pneus chegaram a ser queimados no local.

A reunião do Conselho Universitário da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que poderia definir a adesão do HC à Ebserh estava marcada para as 14 horas.

Segundo um dos representantes da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), Gibran Jordão, o objetivo da manifestação de hoje, assim como foi a da semana passada, foi o de impedir que a reunião do Conselho Universitário ocorresse longe das dependências da UFPR e sem a participação da comunidade acadêmica. “Tanto o Governo Federal, quanto a Reitoria querem privatizar e precarizar o trabalho no HC, levando 916 funcionários à demissão”, disse.

Durante a semana, o reitor da UFPR declarou que os manifestantes não entenderam o objetivo da reunião. “O que nós queremos votar não é o contrato com a Ebserh, mas se a UFPR aceitaria a gestão compartilhada do HC com a organização. O contrato será apreciado tão logo seja concluído pelo Coplad (Conselho de Planejamento e Administração da UFPR) e só a partir de então passará a ter efeitos reais a gestão compartilhada”, afirmou.

Notícias Relacionadas:

Manifestantes fecham ruas do Centro de Curitiba e queimam pneus