O papa Francisco apelou hoje (9) para que os cristãos sejam “pacíficos” e não “bisbilhotem” sobre a vida alheia. O apelo é feito no momento em que há a ameaça de uma guerra nuclear na Península Coreana, envolvendo várias nações, e que o Irã promove testes com o desenvolvimento da produção de urânio. Francisco se dirigiu aos cristãos durante missa na Casa de Santa Marta, onde mora, no Vaticano.

O papa citou, como exemplo, o diálogo entre Jesus e Nicodemos, presente noLivro de João, que está naBíblia. No diálogo, Nicodemos diz a Jesus que não entende como o homem pode “nascer de novo”. Jesus responde que a referência “nascer de novo” significa nascer sob a inspiração do Espírito Santo.

Francisco ressaltou que o desafio do homem é se abrir para a vida espiritual e compreender seu significado. “É um caminho difícil porque depende principalmente do Espírito, mas também de nossa capacidade de nos abrirmos a seu sopro”, disse o papa. “Os primeiros cristãos viviam na unidade, em um só coração e alma, no amor mútuo”, acrescentou.

O papa alertou que as fofocas são o primeiro inimigo desse comportamento. “Bisbilhotar, fofocar sobre o próximo, criticar, que são coisas do cotidiano, que ocorrem também comigo, são tentações do maligno, que não quer que o Espírito [Santo] traga paz e harmonia às comunidades cristãs”.

Segundo Francisco, o comportamento correto é claro. “Não julgar ninguém, porque o único juiz é o Senhor. Ficar calado ou se tivermos que dizer algo, dizê-lo apenas aos interessados, e não a todo o bairro. Esse seria um passo adiante, que faria bem a todos nós” – completou.