O BioParque, em Curitiba/Pr, foi palco da encenação que marcou três décadas e meia do espetáculo mais tradicional da Paixão de Cristo na cidade, nesta Sexta-feira Santa,29.

Divulgação

Em sua fala de abertura do evento, Edson Martins, diretor de produção, destacou a importância que o Grupo Lanteri tem para a população da capital paranaense. “A nossa mensagem cristã está crescendo desde 1978 e o sonho de alguns jovens hoje é a realização para milhares de pessoas. Pelo Grupo já passaram cerca de 6 mil integrantes que deram a sua contribuição para o sucesso deste trabalho que se repete ao longo de décadas,” disse ele.

O diretor comentou ainda que o espetáculo já foi visto por mais de 500 mil pessoas, ressaltando que a Paixão de Cristo é um dos trabalhos mais gratificantes dentre todos os que o Lanteri realiza. “Esta é a maior de todas as histórias e, além disto, passa aos espectadores uma mensagem de esperança, paz e amor fraterno em um teatro feito pelo povo e para o povo”, concluiu.

Após se apresentar durante 21 anos na Pedreira Paulo Leminski o Grupo precisou se adaptar ao novo espaço. Mas, as pequenas mudanças feitas nas cenas e cenários da peça não comprometeram a qualidade da encenação que encantou a multidão. Ao final da apresentação poucos pareciam se importar com a noite fria e garoa fina típicas de Curitiba. Entre aplausos e abraços o que mais se podia notar era o choro de emoção no rosto de muitos dos integrantes e também dos espectadores.

A 35ª edição do espetáculo “Vida, Paixão e Morte de Jesus Cristo” teve o apoio da Prefeitura Municipal e Fundação Cultural de Curitiba.