Da Redação

Mais um viral ‘atinge’ o aplicativo para celulares WhatsApp dos curitibanos. Desta vez, é uma briga entre os pais de um adolescente de 15 anos, que seria estudante em uma escola particular. Desde o início da semana, grande parte dos usuários do Whats já sabia da disputa entre a mãe, contra o envio de baixarias ao filho, e do pai, a favor do envio.

Segundo o que é dito no Whats, a mãe do garoto pegou o celular dele e, indignada com os vídeos que viu, esbravejou. “Sou a mãe do ***. A partir de hoje não mandem baixarias. Ele não foi criado com esse tipo de coisa, não chamem meu filho para essas conversas, porque se não, eu vou até o Conselho Tutelar e todo mundo vai se complicar”, ameaça a mãe, ao que parece, sem o conhecimento do filho.

Ela ainda finalizou dando lição de moral aos jovens fãs de baixarias. “Querem viver essa vida fútil, imunda, de brincadeira, continuem, mas não chamem meu filho para isso”, esbravejou. A voz da mãe foi alterada pela Banda B.  (Ouça no ícone de áudio abaixo)

[jwplayer mediaid=”121143″]

Pai quer baixarias

Logo após o áudio da mãe, foi a vez do pai do garoto enviar um vídeo no mesmo grupo para rebater a ex-mulher. “Eu sou o pai do ***. Continuem mandando baixaria, porque a mãe dele é maluca, tanto que me separei dela há um bom tempo. Mandem tudo, pi na pi, mulher pelada, pi na pi e pi na pi, porque se não ele vai virar viado”, disse o pai, em pedidos que foram censurados pela reportagem. A voz do pai também foi alterada pela Banda B. (Ouça no ícone de áudio abaixo)

[jwplayer mediaid=”121146″]

Viral

Desde então, os áudios estão sendo compartilhados por inúmeros curitibanos, principalmente estudantes. O viral ‘*** entrou no grupo’, por exemplo, é usado para mostrar que ali não poderá ser compartilhado vídeo de baixaria. Outros já usam o ‘pai do *** entrou no grupo’ para mostrar que naquele espaço vale de tudo.

A polêmica ganhou força também pelo fato que muitos consideram que alguns grupos fechados de Whatts, muitos entre adolescentes, estão fora de controle em relação a quantidade de baixarias enviadas. Nesses grupos, exclusivos para smartphones, só participam pessoas convidadas pelo administrador.

E você, o que você acha da polêmica? Comente no facebook da Rádio Banda B.

Notícia Relacionada:

Empresário flagra mulher com outro em motel em Curitiba e joga vídeo no WhatsApp; leia o que ele disse