Redação com MP-PR

O Núcleo do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) em Guarapuava deflagrou, nesta quarta-feira (19), a Operação Sacrilégio. Os motivos são supostas apropriações de recursos do Setor de Obras da Mitra Diocesana, órgão responsável por construções para a Igreja Católica no Município.

A Justiça da Comarca decretou a prisão temporária, por cinco dias (prazo renovável), de quatro pessoas (dentre as quais um padre). Segundo as investigações, o grupo teria se reunido para desviar dinheiro do Setor, apresentando na prestação de contas notas “frias” e superfaturadas.

Também foram expedidos sete mandados de busca e apreensão, cumpridos nas residências dos investigados, no escritório do Setor de Documentação da Mitra e nas dependências de uma empresa, a qual seria uma das possíveis responsáveis pelas emissões de notas fiscais “frias”. Além disso, várias pessoas foram convocadas para prestar declarações na sede do Gaeco de Guarapuava. A operação contou com o apoio dos demais núcleos do Gaeco no Paraná.