SMCS
Reunião com moradores e comerciantes apresentou os detalhes da obra

As obras para implantação de novas galerias de águas pluviais nas ruas Vicente Machado e Presidente Taunay, no Batel, começarão no dia 4 de fevereiro. A data foi acertada em uma reunião entre a Prefeitura, moradores e comerciantes do bairro, na sexta-feira à noite (25). O prazo previsto para a conclusão dos trabalhos é de 60 dias.

A obra será dividida em duas etapas. A primeira fase irá bloquear, por 30 dias, 100 metros da Avenida Vicente Machado, entre as Ruas Coronel Dulcídio e Presidente Taunay. Em seguida os trabalhos avançam para a Taunay, que terá 160 metros interditados, também por um prazo estimado em 30 dias.A partir do dia 4, o tráfego da Vicente Machado será desviado para a Rua Coronel Dulcídio, passando pela Saldanha Marinho e Desembargador Motta, retornando novamente à Vicente Machado.

A Secretaria de Trânsito (Setran) irá organizar o tráfego no local.As obras fazem parte do projeto de reforma da Alameda Carlos de Carvalho e deveriam ter sido iniciadas em julho do ano passado, mas a administração anterior adiou para este ano. O projeto prevê a implantação de galerias celulares de concreto, em substituição à atual tubulação, que não suporta a vazão de água, quando chove.

Com 3 metros de largura por 2,5 metros de altura, as novas galerias aumentarão a vazão em duas vezes e meia, eliminando o problema das enchentes.O encontro – realizado no Auditório do Instituto de Direito Romeu Felipe Bacellar, na Rua Saldanha Marinho – reuniu cerca de 100 pessoas.

Para o secretário de Obras, Sérgio Antoniassi, a solução encontrada foi “excelente”. Ele disse que, durante os trabalhos, não haverá interrupção de serviços, como água e luz, e o trânsito de pedestres e veículos de moradores das ruas não será prejudicado. “Conversamos com a empresa que irá executar o trabalho e todos os processos foram analisados. O prazo será cumprido”, assegurou.

Maurício Figueiredo, que intermediou os debates, disse que a reunião marcou uma nova fase do relacionamento da Prefeitura com a comunidade. “A presença na reunião de dois secretários, mais o presidente do Ippuc e um diretor de regional mostra a disposição do prefeito Gustavo Fruet de estabelecer canais democráticos com a população”, disse.A solução encontrada também agradou a diretora da Ascores, Jo Maciel. “Esta possibilidade de ajustar a data foi muito bem-vinda. É uma obra necessária para a cidade e esta discussão aberta com a comunidade é o que a gente espera do poder público”, comentou.