Após dar início ao debate sobre como combater e punir o grande número de pichadores em Curitiba, a Associação Comercial do Paraná (ACP) voltou a se reunir, às 10h desta quinta-feira, com representantes da segurança pública e da secretaria de Educação para organizar ações efetivas junto à comunidade com o intuito de evitar a pichação de patrimônios públicos e privados da cidade.

Segundo o vice-presidente da ACP, Camilo Turmina, em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (10), a entidade está preocupada com a situação que, além de trazer prejuízos aos proprietários de imóveis, já pode ser considerada fora de controle. “O cidadão precisa ficar mais ‘nervosinho’ com estas pichações e cobrar atitudes. Estas reuniões estão sendo importante e mudanças estão a caminho”, garantiu.

A intenção da ACP é que os responsáveis pela pichação sejam punidos civilmente. “50% são adolescentes e 50% maiores com até 35 anos. Estes irresponsáveis que sujam a nossa cidade precisar de uma punição mais severa, como, por exemplo, pagarem pelos muros que sujarem”, opinou Turmina.

Ele pede mais rigidez no cumprimento da lei contra a pichação. “Uma cidade que quer ser cartão postal não pode ter tantos muros pichados. Estamos caminhados para que a lei seja cumprida com mais rigor, tanto o cidadão quanto os políticos precisam fazer sua parte”, apontou.

Polícia Militar

Segundo o major Maziero, a Polícia Militar pretende utilizar seus recursos de inteligência para coibir a ação dos pichadores, por meio da ação repressiva, identificação dos diferentes grupos que atuam na cidade e o estabelecimento de parcerias com a Polícia Civil e Guarda Municipal, “além de propiciar o treinamento necessário aos policiais para a busca, abordagem e restrição à incidência desse tipo de crime”.

O tenente Edilberto Mazon, do Batalhão de Patrulha Escolar, também destacou os bons resultados registrados em alguns bairros e municípios da região metropolitana, após a realização de trabalho preventivo entre adolescentes e jovens matriculados na rede pública escolar.

Denúncias de pichação podem ser feitoa por telefone ao 191 da Polícia Militar ou ao 153 da Guarda Municipal.