Da Redação com Catve

Saiu o novo laudo técnico da morte de Ademir Gonçalves, de 39 anos, que morreu há dois meses após uma abordagem policial na Ponte da Amizade, em Foz do Iguaçu, na região Oeste do Paraná. O documento aponta que o uso excessivo de uma substância química externa teria motivado a morte do rapaz.

Ademir morreu no dia 28 de janeiro. (Foto: Reprodução)

A defesa de Ademir acredita que se trata de gás de pimenta, do qual ele era alérgico. O laudo também deu negativo para o uso de drogas.

A Receita Federal se manifestou por meio de nota e informou que dos seis servidores envolvidos no caso, dois já estão afastados de suas funções até que a investigação seja concluída, e que está à disposição para qualquer procedimento tanto técnico como administrativo.

O laudo será entregue ao Ministério Público Federal que terá o prazo de 90 dias para analisar e decidir se oferta ou não a denúncia.

O caso

O caso foi registrado no dia 28 de janeiro deste ano. Ele ganhou repercussão depois que fotos foram divulgadas nas redes sociais. Em uma delas, Ademir é abordado pelos servidores da Receita Federal e levado até a sala administrativa que fica na cabeceira da Ponte da Amizade. Em seguida, poucos minutos depois, outra foto divulgada mostra o corpo de Ademir, já sem vida, sendo retirado da sala.

O primeiro laudo, feito em Foz do Iguaçu, não concluiu a causa da morte e por este motivo foi solicitado um novo laudo em Curitiba. Ademir morava em Foz do Iguaçu, mas trabalhava com a venda de produtos eletrônicos que eram comprados no Paraguai.

Para mais notícias do Paraná, clique aqui.