Da redação com AEN

O Norte Pioneiro do Paraná tem o clima e solo adequados para aumentar a produção de frutas, legumes e hortaliças com a aplicação de maior tecnologia. Os municípios da região que estão procurando alternativas rentáveis de produção devem ficar atentos, depois de períodos áureos com a produção de café, cana-de-açúcar e lavoura de grãos.

norte-pioneiro-080913-bandab

A avaliação foi do secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, durante palestra sobre Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável. Segundo ele, o Norte Pioneiro tem localização estratégica privilegiada, mantendo a mesma distância da Ceagesp, principal mercado atacadista de São Paulo, e da Ceasa de Curitiba, além de estar próximo também à Ceasa de Londrina.

Para isso, a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento contam com a adesão das prefeituras e entidades da iniciativa privada para lançar políticas públicas de incentivo ao produtor rural para diversificar as propriedades, com a inclusão do cultivo de hortaliças e frutas.

O chefe regional da Emater em Cornélio Procópio, Paulo César Hidalgo, explica que além da produção de grãos, são sete as cadeias produtivas em exploração na região como a citricultura, a banana em Andirá, a olericultura em Bandeirantes, seringueira, cafeicultura e piscicultura.

Ortigara ainda afirmou que o agricultor precisa produzir, mas é necessário escolher a produção que lhe permita cuidar das nascentes de água e evitar a erosão dos solos.

O secretário  ressaltou que também na produção de frutas, legumes e verduras, o uso de agrotóxicos deve ser feito com parcimônia e o produtor deve adotar o pacote tecnológico recomendado, que inclui manejo integrado de pragas, de doenças e de cuidados com os solos, com a reposição de matéria orgânica. São tecnologias que ajudam a aumentar a capacidade de reter água nos solos, que todos conhecem, mas que foram deixadas de lado ao longo dos últimos anos.