Redação

Um mutirão realizado pelos Correios entregou neste final de semana cerca de 8,4 milhões de cartas e encomendas em cidades onde há paralisação parcial das atividades por causa da greve. No Paraná, 749 mil objetos postais foram entregues por 1.460 empregados que trabalharam no mutirão do último final de semana. Além da entrega, mais 1,1 milhão de objetos postais foram triados (preparados para a entrega) em todo Brasil.

A ação, que contou com a participação de mais de 13 mil trabalhadores, faz parte do Plano de Continuidade de Negócios, que também prevê medidas como deslocamento de empregados entre as unidades e realização de horas extras, a fim de minimizar eventuais atrasos decorrentes da paralisação parcial.

Greve
Nesta segunda-feira (7), 93,48% dos empregados (116.360) estão trabalhando normalmente. No Paraná, esse índice é de 91,69%. Entre os empregados da área operacional (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo), o índice de trabalhadores presentes é de 92,28%. O número é apurado por meio de sistema eletrônico de presença. Já o Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom) afirma que cerca de 70% dos trabalhadores estão em greve.

De acordo com os Correios, a empresa empreendeu todos os esforços junto à Fentect para fechar o acordo, mas neste momento não ocorre negociação. A federação recusou-se a dialogar, segundo os Correios, durante a audiência de conciliação no TST e preferiu deflagrar paralisação parcial, levando ao dissídio. Os Correios aguardam o julgamento do dissídio pelo TST — o que não impede, porém, que outros sindicatos aceitem a proposta oferecida pela empresa e assinem o acordo.

O julgamento do dissídio coletivo pelo TST ocorre na terça-feira (8), quando o relator do processo, o ministro Fernando Eizo Ono, irá julgar a abusividade da greve e as cláusulas sociais e econômicas da categoria. O julgamento será transmitido ao vivo no Blog das Negociações Trabalhistas dos Correios: http://blog.correios.com.br/acordocoletivo/.