Da Redação

Um dos principais pontos turísticos de Curitiba, o Museu Oscar Niemeyer (MON) completa 12 anos de atividades neste sábado (22). Para comemorar, a entrada está sendo gratuita o dia todo e o Museu oferece uma programação especial para os visitantes. A Banda B esteve no MON neste sábado e conversou com o historiador José Roberto Teixeira, que contou que 25 mil pessoas passam mensalmente pelo espaço cultural.

oscarniemayerFoto: Divulgação

“O espaço é icônico não só pelo interior, mas principalmente pela parte de fora, já que milhares dos visitantes não chegam a entrar no olho e apenas observam a arquitetura”, comentou.

Para a data, o museu inaugurou a exposição “Isolde Hötte, sua obra”. A mostra pontua a trajetória da pintora e ceramista na arte paranaense. A exposição faz parte de um projeto especial do MON, desenvolvido pelo setor de Ação Educativa em parceria com o Departamento de Museologia, Restauro e Conservação do Museu, cuja finalidade é apresentar ao público a história de um artista que tenha obras no acervo do MON e seja de grande importância para as artes visuais. No mesmo horário será feita a entrega de uma escultura, doada ao acervo do MON, da artista Carla Vendrami (1962-2009).

Para as 14 horas está marcada uma visita guiada a exposição “Histórias do Acervo MON – Em Aberto”, feita pela diretora cultural Estela Sandrini. A mediação vai explicar a mostra, que traz mais de 200 obras de artistas que estão no acervo – composto atualmente por cerca de 3.400 obras. Nestes quase 12 anos, mais de mil obras foram incorporadas ao acervo do Museu Oscar Niemeyer.

Às 16 horas, haverá uma visita mediada pela mostra “Frida Kahlo – As Suas Fotografias”, que termina no próximo domingo, dia 30 de novembro. Guiada por Maria José Justino, diretora da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), a visita procura explicar a importância destes retratos que compõem a exposição para compreender a trajetória de Frida Kahlo.

O Museu Oscar Niemeyer

O Museu Oscar Niemeyer foi inaugurado em novembro de 2002, mas o projeto do prédio principal foi inaugurado em 1978. O projeto é do renomado arquiteto que deu o nome ao Museu, Oscar Niemeyer. Em 2001 o edifício deixou de ser sede de secretarias de Estado para se transformar no Museu. O prédio foi adaptado e ganhou um anexo, chamado popularmente de Olho.

O Museu possui cerca de 35 mil metros quadrados de área construída e mais de 17 mil metros quadrados de área expositiva, considerada a maior da América Latina. Como um dos mais importantes Museus em âmbito internacional, o MON se consolidou e se tornou rota de grandes exposições.

As mostras mais vistas no MON foram “Poty, de todos nós”, “Múltiplo Leminski” e “A magia de Escher”. A última registrou cerca de 200 mil visitantes e é considerada a mostra mais vista no MON até hoje. Já a mostra “Frida Kahlo, as suas fotografias” teve público recorde em sua itinerância mundial, que passou por México, Portugal e Estados Unidos.

Em 2013, o Museu recebeu mais de 340 mil visitantes, à frente dos 30 museus federais que compõem a rede do Ibram/MinC (Instituto Brasileiro de Museus). Em dezembro deste mesmo ano, o MON chegou à marca de 2 milhões de pessoas que visitaram a instituição desde o início da contagem, em 2003.

Rankings

O espaço foi eleito, em 2012, um dos 20 museus mais bonitos do mundo pelo guia norte-americano Flavorwire e foi escolhido pelo público do TripAdvisor – maior site de viagens do mundo – um dos principais pontos turísticos de Curitiba. Além disso, o Instituto Paraná Pesquisas realizou um levantamento que revela que 94% dos entrevistados qualificam o MON como ótimo ou bom, e que 98% pretendem voltar ao museu para uma nova visita.

O MON foi destaque tanto em 2012 como em 2013 no ranking mundial das exposições mais visitadas, organizado anualmente pela revista inglesa The Art Newspaper: Acervo MON, Anders Als Immer, Zero, Violeta Franco, PR/BR, Ione Saldanha e Marc Ferrez pontuaram na lista.

Em 2014, foi eleito um dos 20 lugares mais bonitos do Brasil pela rede norte-americana de notícias CNN (Cable News Network).