Da Redação e Polícia Civil

Uma mulher de 34 anos e um jovem de 19 foram presos suspeitos pela morte de Adilson José de Souza, de 34 anos, em Ribeirão Claro, no norte pioneiro. De acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil nesta quinta-feira (19), a ex-companheira planejou todo o crime e o executou com o auxílio do jovem e de outros dois suspeitos – que ainda não foram encontrados. De acordo com o que a presa alegou, a vítima não aceitava o fim do relacionamento. De acordo com informações noticiadas por jornais locais, a suspeita alegou em depoimento que vinha sendo assediada e ameaçada pela vítima.

Ela e o jovem foram presos no momento em que tentavam fugir do município, próximo a um matagal na saída da cidade, na beira da Rodovia que liga Jacarezinho a Ribeirão Claro. A prisão foi realizada pela Polícia Militar de Ribeirão Claro, na noite de terça-feira (18). Já os outros dois suspeitos se encontram foragidos.

Segundo informações policiais, o corpo da vítima foi encontrado por volta das 14 horas de segunda-feira (17), com sinais de violência física, próximo ao Centro de Eventos da cidade, situado no bairro CQG. Durante as investigações, a equipe apurou que Souza foi morto a marretadas.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Patrícia Cavalari Bocamino Taborda, a mulher convidou Souza para um suposto encontro com a intenção de atraí-lo até o local em que ocorreu o crime. “Ao chegar lá, a vítima foi surpreendida pelos três rapazes, que o agrediram com uma marreta”, conta. Patricia ressalta que as investigações continuam intensas, com o intuito de localizar e prender os outros envolvidos no crime que vitimou Souza.

A mulher e o jovem detidos até o momento estão presos no Setor de Carceragem Temporária (Secat) da Delegacia de Ribeirão Claro, onde aguardam à disposição da Justiça. Todos os envolvidos responderão por crime de homicídio qualificado, se condenados podem pegar até 30 anos de prisão.