Da Redação

Um dia após vazar à imprensa o documento em que é recomendado pelo comandante do 13° Batalhão (13°BPM) que policiais militares não passem de 80 km/h em perseguições e não infrinjam as leis de trânsito, uma viatura da área atropelou e feriu Jerussa Domingues de Almeida, de 39 anos, no bairro Ganchinho, em Curitiba. Ela foi levada pelo Siate do Corpo de Bombeiros em estado grave, mas sem risco de morte, ao Hospital do Trabalhador (HT).

Policiais do 13° BPM foram atender uma confusão generalizada e, na chegada, acertaram a mulher. Na mesma situação, o marido da vítima e o filho dela foram presos por desacato, após terem partido para cima dos policiais.

Confusão após capotamento

A confusão que resultou no atropelamento começou na tarde de ontem. Nilda Almeida, cunhada de Jerussa, contou à Banda B que jovens realizavam um racha na frente da casa da família, na Rua João Gilberto Martins, quando um dos carros capotou. “Nós fomos lá ajudar. Viramos o carro e o jovem que estava dentro fugiu. Já na noite de ontem, ele voltou e disse que tinham levado os seus pertences, mas não fomos nós, possivelmente alguns ‘nóias’ que ficam por lá fizeram isso”, iniciou.

Nilda completou dizendo que, na manhã de hoje, o jovem e alguns amigos retornaram armados com facas. “Eles vieram para cima da gente e a Polícia Militar (PM) foi chamada. Os policiais atropelaram a minha nora quando chegaram. Meu irmão e o filho dele ficaram revoltados, sendo presos por desacato. Enquanto isso, os responsáveis por tudo fugiram. A gente só quis ajudar e terminou dessa forma”, garantiu.

A Banda B tentou contato com policiais do 13°BPM, mas ninguém quis falar sobre o caso. Pai e filho foram encaminhados ao Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul, no bairro portão. Com relação ao documento sobre limite de velocidade em perseguição, a assessoria de imprensa da PM ainda não se pronunciou oficialmente.

Notícia Relacionada:

Documento impede viaturas da PM ultrapassar 80 Km/h e causa polêmica nas redes sociais