Por Felipe Ribeiro e Ricardo Vieira

Em ato unificado do coletivo CWB contra Temer e do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), centenas de manifestantes se reuniram na noite desta terça-feira (6), no Centro de Curitiba. Este foi o quarto e maior ato contra o governo Michel Temer na capital paranaense após a definição de impeachment de Dilma Rousseff na capital paranaense. A mobilização começou na Praça 19 de Dezembro e seguiu até a Boca Maldita. De acordo com organizadores, 4 mil pessoas participaram do ato. Houve novamente registro de vandalismo e um manifestante foi preso.

De acordo com o professor Luiz Belmiro, um dos objetivos é cobrar o fim da corrupção, que foi um dos argumentos usados por pessoas contrárias ao governo petista. “O que a gente tem visto são denúncias ainda mais graves que a do governo derrubando. Queremos que as pessoas assumam suas contradições e possamos resolver as coisas. Não queremos um pacto dos mesmos grupos de sempre apenas para defender a própria pele”, disse. Os manifestantes pedem ainda novas eleições para à Presidência da República.

Os integrantes do MST que participam da manifestação são os mesmos que ocupam a rua em frente ao Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

Confusão

Na Rua Dr. Muricy um manifestante foi preso. O tenente Vieira explicou que o manifestante detido xingou um policial militar e teria iniciado tumulto. “O protesto é pacífico até agora e ele foi o primeiro a querer criar confusão. Estamos aqui para resguardar a ordem pública e não vamos permitir atitudes como aquela. Ele danificou uma viatura e a PM está aqui para proporcionar a segurança, não vamos tolerar vandalismo”, explicou.

Durante a prisão, manifestantes criticavam a ação e pediam o fim da Polícia Militar.

No domingo, manifestantes já haviam jogado pedras contra a sede do PMDB e quebraram vidros e picharam as paredes de um bar da Rua Vicente Machado. Desta vez carros e muros foram alvos de vândalos nas proximidades da Rua XV de Novembro.

Assista vídeos do protesto nos players abaixo:




Notícia Relacionada: