Redação

Até a tarde, tudo será normalizado. Foto: Reprodução

Motoristas e cobradores finalizaram a greve parcial que atingiu Curitiba e região metropolitana no início da tarde desta quarta-feira (21). Houve um acordo entre as partes envolvidas – patrões e trabalhadores e , por isso, os ônibus voltaram a circular normalmente. Segundo negociação, as empresas responsáveis pelo transporte se comprometeram a efetuar o pagamento da segunda parcela do 13º salário. Ônibus das empresas São José Filial, Araucária Filial, Araucária Matriz e Tindiquera voltaram a circular normalmente.

Entretanto, segundo a assessoria de imprensa do Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), os motoristas e cobradores estão trabalhando em estado de greve. Se não houver o pagamento até amanhã, eles entrarão em greve, novamente. O prazo é que o valor caia na conta até sexta-feira (23).

Greve

Segundo o Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana), o atraso salarial foi provocado pelo atraso nos repasses dos valores devidos pela Urbs, que estaria acumulado em R$ 3,6 milhões. O sindicato patronal afirma que a Urbs fez um depósito de R$ 1,3 milhão nesta quarta (21), mas a dívida persiste

A prefeitura de Curitiba admitiu que houve atraso em parte do repasse de dinheiro às empresas do transporte coletivo e  enviou nota nesta manhã de quarta-feira(21) informando que ainda hoje deverá iniciar a regularização dos repasses em débito.

Empresas

As empresas de ônibus se manifestaram pouco depois da retomada das atividades, por meio de nota à imprensa: “A maioria das empresas de ônibus pagou a segunda parcela do 13º salário de motoristas e cobradores, mesmo com a Urbanização de Curitiba (Urbs) devendo mais de R$ 3,6 milhões às operadoras. O esforço das empresas foi feito no sentido de garantir o serviço de transporte na cidade e não prejudicar a população nem o comércio”

Ainda, segundo a nota, as empresas de ônibus esperam que a Urbs regularize os repasses em atraso. “Hoje, a gerenciadora do sistema transferiu apenas R$ 1,3 milhão. Portanto, ainda deve mais de R$ 3,6 milhões às empresas, referentes a 32% do dia 15 e 100% dos dias 16, 17, 18 e 19. Para quitar seus débitos, a Urbs terá de depositar amanhã R$ 4,8 milhões, com o acréscimo do serviço prestado no dia 20”, finaliza.