Por Luiz Henrique de Oliveira e Daniela Sevieri

Motoristas e cobradores da Viação Cidade Sorriso, em Curitiba, realizaram na manhã desta segunda-feira (22) uma assembleia que atrasou a saída de ônibus de várias linhas na Região Sul de Curitiba. Os trabalhadores reclamam de assédio moral e demissões em massa. A empresa nega (ver nota abaixo).

assembleia

Manifestação na Viação Sorriso (Foto: Sindimoc)

A assembleia aconteceu por volta das 4h desta segunda-feira, o que provocou atrasos na saída das linhas da Viação. O presidente interino do Sindimoc, o sindicato da categoria, Dino César, explicou que os trabalhadores demitidos são escolhidos a dedo.

“Os trabalhadores têm o benefício chamado de anuênio, que é o aumento de 2% no salário, mas empresa está mandando embora os mais antigos, para evitar o recebimento do direito do funcionário. Queremos alertar à população e as autoridades sobre o que está acontecendo”, afirmou à Banda B.

César explicou que a Viação Sorriso tem linhas na região sul de Curitiba, afetando os usuários do transporte coletivo de vários bairros. “Sítio Cercado, Umbará, Ganchinho, uma parte do Pinheirinho e outra do Boqueirão estão sendo atingidos pelo atraso da saída dos coletivos, que agora operam normalmente”, explicou.

O presidente interino destacou ainda que se a situação persistir levará a greve, que até o momento não está cogitada, mas também não foi descartada.

Outro lado

A assessoria de imprensa da Viação Cidade Sorriso enviou nota sobre o atraso na saída dos ônibus negando demissões em massa. “Sobre o protesto realizado nesta segunda-feira (22) pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), a Viação Cidade Sorriso informa que foi surpreendida com a manifestação, nega que esteja havendo demissão em massa e afirma que os desligamentos que porventura ocorreram foram feitos de acordo com os requisitos legais”, diz a nota.