Redação com Estadão

O operador de máquinas dirigia uma Ford Ranger e foi rendido por outros motoristas, que perceberam que o condutor estava embriagado – Foto: Polícia Rodoviária Federal

Um motorista que transitava em ziguezague em uma Ford Ranger por uma rodovia da região metropolitana de Goiânia acabou rendido por outros condutores, que perceberam que ele estava completamente embriagado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), foi constatado o maior teor alcoólico de motoristas em estradas federais que cortam Goiás neste ano. O teste do bafômetro revelou um teor alcoólico de 1,34 miligrama de álcool expelido. O condutor foi preso pela PRF.

O flagrante aconteceu no sábado, 15, na BR-060, que liga Goiânia a Goianápolis. O motorista é um operador de máquinas de 59 anos. Outros condutores que trafegavam pela rodovia perceberam o jeito perigoso dele dirigir. Um deles tomou a chave do operador quando ele parou em um pedágio no km 107, próximo de Goianápolis. A PRF foi chamada em seguida.

Após ter sido submetido ao teste de alcoolemia e preso, ele foi conduzido para a Central de Flagrantes mais próxima, em Anápolis, e pagou fiança de R$ 313, sendo liberado depois. Além da fiança, o motorista foi multado em R$ 2.934 pelo flagrante de embriaguez ao volante.

Flagrante no Paraná

Em 2012, um morador de Santa Mariana, no Paraná, de 47 anos, foi preso na BR-369, em Cornélio Procópio, município vizinho, com teor alcoólico no sangue 18 vezes superior ao tolerado pela legislação na época.  O bafômetro apontou 1,82 miligramas de álcool por litro de sangue.

O motorista estava sozinho em um Gol e quase provocou um acidente no km 83 quando invadiu a pista contrária, onde trafegava outro carro. A Polícia Rodoviária Federal foi alertada por motoristas que perceberam os erros cometidos por ele. Segundo os policiais, quando o carro foi abordado, o homem ficou debruçado sobre o volante e seu estado não deixava qualquer dúvida de que estava embriagado.

Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia, onde foi instaurado inquérito, mas acabou liberado após o pagamento de fiança.