Por Elizangela Jubanski e Geovane Barreiro

Cansados de assaltos, moradores e comerciantes do bairro Santa Cândida, em Curitiba, espalharam faixas pela região pedindo mais segurança. São diversas mensagens que fazem alusão ao abandono no policiamento, segundo os moradores. As faixas dizem – “Sr. Prefeito, precisamos de um módulo da Guarda Municipal em nosso bairro e maior presença da GM”; ‘O bairro Santa Cândida pede socorro às autoridades. Chega de assalto e roubos. Segurança já”; “Senhor Governador estamos cansados da falta de segurança do bairro”; “Senhor Governador, o povo está cansado de ser assaltado e roubado nesse bairro”; “Sr. Secretário de Segurança, nosso bairro está esquecido. Segurança Já”.

Assaltos à mão armada se tornaram diários, furtos, roubos a carros, arrombamento de casas e abordagens nas ruas. “Tudo isso ficou constante de um tempos para cá. Todo dia tem assalto, tem homicídio, pelo menos uma vez por semana tem carro furtado”, disse o morador, que preferiu não ser identificado com medo de represália. A ação está sendo promovida pela Associação de Moradores e Comerciantes do Santa Cândida.

A revolta dos moradores é antiga, segundo eles. Para tanto, decidiram que, até mesmo, uma ‘vaquinha’ poderia ser feita para auxiliar na manutenção das viaturas. “Tem gente que nem conhece a Guarda Municipal porque nunca viu nenhuma viatura aqui no bairro. Um policial disse pra gente que uma das viaturas que faz rondas aqui na região está estragada e a gente está disposto a ajudar”

Outro lado

A Banda B entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar e informou que o policiamento preventivo e ostensivo no bairro Santa Cândida e proximidades é feito pelo 20º BPM. As ações são desempenhadas pelas Radiopatrulhas da unidade e também pelas Rotams, além do Serviço Reservado. Também há uma grande atuação do Bope no local, em operações esporádicas especiais quando há necessidade.

No entanto, a Corporação pede que quando acontecer alguma situação, a população ligue para a PM por meio do 190. Informa também que fatos consumados são de responsabilidade da Polícia Civil, que deve investigar, portanto, se alguém possuir características de suspeitos ou de veículos usados na criminalidade deve procurar uma delegacia e informar.

Já a Prefeitura de Curitiba respondeu, por meio de nota, que não será colocado um módulo no local, nesse momento, pois a Guarda Municipal foca no trabalho com o Módulo Móvel Itinerante. O módulo é fixado no bairro (durante 15 dias) conforme a demanda dos moradores que, podem indicar um ponto, uma praça, local de risco. Em 2016, a GM contará com mais 400 concursados, o que facilitará o trabalho, além de garantir uma maior presença da guarda nos bairros.

Notícias relacionadas:

Cansados de assaltos, moradores espalham faixas em bairro para pedir segurança ao governador