Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique

protestodentroMoradores fecharam Rua Vereador Wadislau Bugalsk e prometem não liberar (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

Dois protestos de moradores em municípios da região metropolitana marcou o início desta segunda-feira (3). Nas duas ocasiões, em Almirante Tamandraé e Campo Largo, eles pedem mais estrutura nas ruas e asfalto em locais bastante movimentado. Moradores do bairro São Carlos, em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, fecham os dois sentidos da Rua Vereador Wadislau Bugalsk, que dá acesso ao Contorno Norte, na manhã desta segunda-feira (3). Eles reclamam da gestão do prefeito Aldinei Siqueira (PSD) e alegam que promessas não foram cumpridas, fazendo referência principalmente as ruas esburacadas da região. Em Campo Largo, o protesto também é por mais infra-estrutura.

As faixas dos manifestantes em Almirante Tamandaré têm as seguintes frases: ‘Prefeito cadê o nosso asfalto?’ e ‘São Carlos abandonado’. Pneus foram queimados e a população promete só liberar a rua quando as autoridades derem uma satisfação para os problemas da comunidade.

“Almirante Tamandaré está toda abandonada. Carros estão quebrando e vamos bloquear a Wadislau até que alguma autoridade apareça e resolva a situação. Estamos cansados de promessas que não são cumpridas. Nossa cidade está jogada”, disse à Banda B o morador Alexandre Vieira.

Já o manifestante Moacyr da Silva falou que em época de eleição os moradores são lembrados, mas quando o pleito acaba. “Na hora de pedir votos eles asfaltavam para não ter problema para chegar, agora a ambulância não chega nem para atender uma gestante. Os problemas vão além do asfalto, queremos soluções”, reclamou.

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Almirante Tamandaré que informou que, após várias tentativas de propostas cortadas em orçamentos federais, aguarda a fase de contratação da Caixa Econômica Federal (CEF), para depois licitar e, por fim, autorizar a execução do projeto de asfaltamento da avenida Barão do Rio Branco.

Campo Largo

Outra manifestação na região metropolitana acontece no município de Campo Largo, na Avenida das Torres. Os moradores reclamam da falta de estrutura ao redor do Hospital Nossa Senhora do Rocio, recém reformado. Segundo eles, o hospital está com atendimento bom, no entanto, a reclamação é entorno do hospital: ruas sem asfaltos, esburacadas, sem sinalização. “Fizeram um hospital padrão Fifa, mas o restante continua padrão Campo Largo, mesmo. Os moradores estão revoltados”, disse o porteiro Vilson Cordeiro, 56 anos.

Às 7 horas, cerca de 60 moradores já estavam reunidos bloqueando a avenida, que liga o loteamento São Gerônimo à saída para a BR-277. O trecho foi bloqueado com pneus, madeiras e entulhos. Há registro de congestionamento no local.

Em nota, a Prefeitura de Campo Largo informou que reconhece a manifestação e o pedido dos moradores como legítimo e enfatiza que tem trabalhado para atender a toda a população.

Para o prefeito Affonso Portugal Guimarães, a atual administração herdou uma herança complicada da gestão passada e hoje precisa correr contra o tempo. “Após a tragédia que foi a tempestade de granizo do último dia 17, como município, estamos vivendo um momento complicado. Agora, precisamos focar em recuperar casas, escolas, creches e postos de saúde. Não podemos penalizar mais ainda nossos moradores”, disse.

Segundo o secretário municipal de Viação e Obras, Luiz Cecato, o bairro Jardim Social tem recebido obras constantemente, e outro projeto já está sendo elaborado.

“Sabemos das dificuldades e necessidades dos moradores do Jardim Social e do entorno do hospital, e estamos trabalhando para saná-las. Não nos esquecemos deles. Recentemente, refizemos a pavimentação no entorno da escola José Alexandre Sávio, que é na região”, afirmou.

Um projeto para a Avenida Caetano Munhoz da Rocha, que circunda o hospital, está em fase de elaboração por parte de uma empresa. A previsão é que o projeto seja finalizado até o fim deste mês.

Ainda de acordo com o secretário, o projeto inclui ainda a realização de uma licitação para a realização das obras de pavimentação na localidade.