Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento

(Fotos: Antônio Nascimento – Banda B)

Moradores dos bairros Mercês e Vista Alegre, em Curitiba, realizaram uma manifestação na manhã deste domingo (7), no cruzamento da Avenida Manoel Ribas com a Rua Jacarezinho, pedindo por mais segurança na região. Entre as reivindicações estão a criação de um módulo móvel, a extinção da carceragem do 3º Distrito Policial e o chamamento dos policiais aprovados em concurso.

“Nós estamos com altos índices de assaltos e solicitamos há anos ao governo do Paraná o módulo, que teria uma viatura e duas motos. Estamos esperando por isso desde 2011. Além disso, temos o grande número de presos no Distrito, o que atrapalha as investigações, porque os policiais não conseguem trabalhar. Tem bandido aqui que a gente sabe nome, CPF, onde atua e nós repassamos todas as informações, a segurança não é falha por falta de ajuda da comunidade”, disse Fabiano Marcon, que participou do protesto, em entrevista à Banda B.

De acordo com ele, em uma semana entregando panfletos sobre a manifestação para a vizinhança, soube de pelo menos quatro casos de assaltos nos bairros. “Esses dias eu abri a cortina da minha casa e vi um ladrão carregando uma caixa de som que pegou de um carro, é absurdo. Nós sabemos que os policiais militares fazem milagres com os poucos recursos que têm, não os culpamos pelo o que está acontecendo. A verdade é que estamos largados”, completou Fabiano.

Outro manifestante, que preferiu não se identificar, contou à reportagem que foi aprovado em um concurso da Polícia Militar, mas que, até agora, não foi chamado para atuar. “Nós tivemos reunião com o governador e eles garantiram o chamamento, só que ele foi prorrogado duas vezes e vence agora em 2017”, afirmou.

A moradora Maria de Lurdes também foi às ruas para protestar. “O nosso bairro está gritando por segurança, não é só o nosso, mas se ninguém começar, os outros não vão atrás. Vamos ver se o governador nos escuta, ninguém aguenta mais. É todo dia gente reclamando”, finalizou.

A manifestação foi convocada pelo Conselho de Segurança da região. Sobre as reivindicações, a Secretaria de Segurança Público do Paraná (Sesp) enviou a seguinte resposta:

Módulos móveis são móveis. Eles existem e passam pela cidade. Mas não ficam apenas no bairro. 2,8 mil PMs estão passando pelo curso de formação. Nos próximos meses eles começam estágio probatório nas ruas, acompanhados por policiais mais experientes. A principal missão desses novos PMs é o patrulhamento preventivo e ostensivo para ter maior presença policial nas ruas. As carceragens poderão ser desativadas assim que forem concluídas as obras novas e de expansão de 14 unidades prisionais de todo o Estado. Essas obras são prioridades para a Sesp.