Por Marina Sequinel e Geovane Barreiro

ecovia-protesto(Foto: Colaboração/Banda B)

Moradores de Morretes, no Litoral do Paraná, decidiram realizar um “protesto silencioso” para pedir por áreas de escape para caminhões no km 34 da BR-277. Eles colocaram duas faixas em frente a Capela Sagrado Coração de Jesus e Maria, que cobram a atenção das autoridades para o alto número de acidentes na região.

“Nós não aguentamos mais tantas mortes e tragédias aqui. A concessionária vive cobrando pedágio e não toma nenhuma atitude contra esses acidentes, que poderiam ser evitados com as áreas para os caminhões, principalmente em casos de problemas mecânicos”, relatou José Marcos Melinger, que tem um comércio no local há 25 anos, em entrevista à Banda B, na tarde desta quarta-feira (12).

ecovia2Faixas foram colocadas na frente da capela. (Foto: Colaboração/Banda B)

Segundo ele, os moradores já pediram resposta para a Ecovia, mas a empresa alega que é necessário entrar em contato por meios jurídicos. “Não há abertura para a comunidade, para as pessoas simples que vivem aqui. Nós não temos condições de tentar dialogar com eles só com a presença de advogados. Por isso decidimos colocar as faixas na frente da capela”, completou José Marcos.

Uma delas declara “Ecovia: a comunidade anseia por menos acidentes”, enquanto a outra afirma “Chega de perdermos vidas por falta de caixas de escape”. “Nós precisamos de soluções urgentes. Há cerca de um mês, três caminhões se envolveram em um acidente e um dos motoristas morreu. As casas foram atingidas, o óleo dos veículos foi para os rios. Esses desastres têm consequência a longo prazo. Além das áreas de escape, queremos também mais fiscalização da Polícia Rodoviária Federal”, disse o comerciante.

De acordo com ele, o risco é maior do lado direito da pista, para quem desce a Serra do Mar. A região conta com 500 famílias, que pedem por intervenções na rodovia para diminuir os acidentes nas estradas.

Resposta

Em nota, a Ecovia informou que a implantação de área de escape no trecho sob concessão não é uma obra prevista contratualmente. Por isso, qualquer investimento de ampliação na rodovia que não conste no Contrato de Concessão necessita de análise e prévia autorização do Poder Concedente – Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná. A concessionária esclareceu ainda que recebe costumeiramente as comunidades e permanece à disposição.