Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento

Os moradores da Vila Sabará, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), não aguentam mais os transtornos causados pelo lixo hospitalar que é jogado na Rua Lauro Schereiber. Segundo eles, o mau cheiro e a fumaça tóxica da queima do material representam altos riscos de saúde para a população.

“São depositados aqui tudo o que sai dos hospitais e clínicas veterinárias, incluindo restos humanos e de animais. A situação é tão crítica que tem gente que solta fogos para afastar os corvos dali”, disse Wilson Cardoso Santos, um dos moradores do local, em entrevista à Banda B na tarde desta sexta-feira (13).

De acordo com ele, o cheiro fica insuportável e o perigo aumenta em períodos pós-chuva e de cerração, além das ocasiões em que as empresas queimam os resíduos. “Nós pedimos socorro. Em plena madrugada, acordamos sem conseguir respirar direito, é terrível. O povo está ficando doente. Daqui a pouco não vai ter hospital para tratar todo mundo”, completou Olga Ferreira de Souza, representante da Associação dos Moradores da região.

Outro habitante do local contou à reportagem que trabalhou oito anos em uma das empresas responsáveis por cuidar do lixo hospitalar. “Eu moro a 100 metros dali, de onde vem todo tipo de veneno. Muitas vezes, eles fazem buracos e enterram tudo. Para almoçar lá, só com vidro blindado porque ninguém aguenta o cheiro”, concluiu Vilson.

Procurada pela Banda B, a Prefeitura de Curitiba informou que a Vigilância Sanitária vai até a área para averiguar a situação. Segundo o órgão, em caso de depósito irregular de lixo hospitalar, a população deve entrar em contato direto com a Vigilância por meio do telefone 156.