Por Marina Sequinel

Os moradores fecharam a estrada e queimaram pneus na Linha Verde. Trânsito continua lento na região. (Foto: Banda B)

Moradores do Jardim Paraná, em Curitiba, fecharam o sentido Sul da Linha Verde no final da manhã desta quarta-feira (16). Até as 13h30, eles protestaram contra o corte de luz feito pela Copel, sob a alegação de que as ligações eram clandestinas. De acordo com a empresa, 50 pontos que estavam furtando energia foram retirados na região do bairro Capão Raso.

“Nós sempre procuramos a Copel para colocar luz aqui de maneira legal, mas eles nunca vieram. O que restou para a população foi colocar energia do jeito que deu. A empresa veio, então, e cortou a nossa luz, sem mais nem menos”, relatou Cristiane, uma das manifestantes, à Banda B. Devido ao protesto, o trânsito na Linha Verde ficou lento no trecho próximo a Avenida Brasília, no bairro Xaxim. No momento, a rua já está liberada.

copel-160414-bandab

As ligações clandestinas, segundo a Copel, são os fios emaranhados mais altos no topo do poste. (Foto: Divulgação/ Copel)

Em nota, a Copel informou que o corte foi feito porque a energia estava sendo distribuída por ligações ilegais. Esse tipo de iniciativa, segundo a empresa, prejudica quem paga pela luz dentro do prazo e oferece riscos a pedestres e motoristas, por causa dos cabos emaranhados e pendurados ao longo da rua.

A Copel destacou ainda que o furto de energia é crime e representa a segunda maior causa de mortes com energia elétrica no Brasil.

 Reunião

Na manhã desta quinta-feira (17), a Companhia deve se reunir com a Cohab às 10h para decidir como regularizar a situação. A Copel afirmou que, como o local é uma ocupação e não foi oficializado pela Prefeitura, não tem acesso a rede de energia da reunião. Esse impasse deve começar a ser resolvido a partir do encontro entre as autoridades. A luz deve ser restabelecida na região onde não há ligações clandestinas.