Por Felipe Ribeiro

whatsapp-image-2016-12-13-at-15-13-51

Geovane Barreiro, Seu Adalberto e Flávia Barros durante a visita

Os anos 1940 são considerados alguns dos mais importantes do rádio brasileiro. Na história do país, não é difícil encontrar registros sobre a ‘Era de Ouro do Rádio’, época em que o veículo recebeu vários investimentos a fim de seu desenvolvimento. É neste período também que nasceu o radialista Adalberto da Silveira, hoje com 72 anos, mas que há dez anos não atuava em sua profissão. Nesta terça-feira (13), ele esteve na sede da Rádio Banda B, em Curitiba, e teve a oportunidade de realizar um sonho de Natal, que era voltar a sentir o clima de uma emissora e falar ao microfone ouvido por milhares de pessoas.

Adalberto hoje consegue falar sobre a sua vida com tranquilidade. Ele conta, diante dos microfones, que começou a ter problemas após o falecimento de sua mãe, que se seguiu de disputas com irmãos e enteados. De certa forma, ele até desistiu de viver. Se envolveu com álcool e precisou morar em um pequeno barraco até poucos meses atrás. Foi então, na Fundação de Ação Social (FAS), no Centro de Curitiba, que encontrou um novo caminho, que o levou até o Lar dos Idosos Recanto do Tarumã, em fevereiro. “Hoje tenho a oportunidade de viver muito bem, aqui não falta nada para mim e todos os outros idosos. Tenho a oportunidade de sair e voltar como quiser, mas parece que sinto falta daqui. Recebemos visitas todos os dias, principalmente neste período de Natal e estou muito feliz”, comentou.

No Lar, Adalberto encontrou um porto seguro. Com a ajuda de amigos, conseguiu entrar em contato e voltar para dentro do veículo rádio. “Toda semana a gente se reúne para falar um pouco sobre a nossa vida. Em uma oportunidade, contei a minha profissão e tivemos até a iniciativa de usar os aparelhos para um programa semanal dentro do lar, mas mesmo assim sempre quis poder voltar a entrar e ver uma emissora de perto. O que vejo aqui hoje é muito diferente do que eu trabalhei”, disse emocionado.

Visita

Quem buscou Adalberto no bairro Tarumã foi a repórter Flávia Barros. No tradicional carro amarelo da emissora, ele voltou a sentir como ser repórter. Ele chegou então à sede da Banda B por volta das 15 horas e participou do Jornal da Banda B com Geovane Barreiro. Dentro do estúdio e perto do microfone, se sentiu em casa.

“Na verdade eu pedi uma rádio na nossa reunião com a psicóloga, mas claro que fiz uma brincadeira. É muito bom poder estar aqui me comunicando novamente. Esse é o maior dos presentes que eu poderia receber”, agradeceu.

A repórter Flávia Barros também agradeceu a oportunidade de acompanhar Adalberto até a ‘Rádio do Coração’. “A mesma paixão que a gente tem pelo rádio, ele tem. O seu Adalberto é uma pessoa especial e que me deixou arrepiada. Assim que soubemos do sonho dele por um ouvinte voluntário, conseguimos fazer essa surpresa”, explicou.

Confira vídeo da visita abaixo: