Por Luiz Henrique de Oliveira e Geovane Barreiro

picodentro

Leitor do Portal da Banda B está indignado com o vandalismo no Pico do Paraná (Foto: Arquivo Pessoal)

As pichações tomaram conta do Pico do Paraná e isso está indignando um grupo de montanhistas que frequenta o local, que é o ponto mais alto do Sul do Brasil e está localizado em uma área de proteção ambiental entre os municípios de Campina Grande do Sul e Antonina. Em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (5) Fábio Sieg Martins pediu mais rigor dos órgãos fiscalizadores e patrulhadores, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Polícia Ambiental da Polícia Militar.

“Isso vem acontecendo desde janeiro. Na época mobilizamos mais de 200 pessoas na rede social e descobrimos o perfil de uma pessoa no Facebook, já que é necessário se cadastrar para subir o pico”, afirmou ele, contando que a denúncia foi feita ao IAP e não houve retorno. “Estava claro que era o rapaz que tinha pichado e ficou por isso mesmo”, descreveu Sieg, fazendo questão de lembrar que este tipo de crime ambiental é inafiançável. “Uma pichação em um muro pode ser pintada, já em uma rocha em uma área de proteção ambiental ficará para sempre e causará danos irreversíveis. Ali é a natureza “, criticou.

Após a denúncia em janeiro, o montanhista subiu mais algumas vezes o pico e sempre verificou atos de vandalismo. Neste último fim de semana ele ficou ainda mais revoltado. “Escalei a montanha no sábado e vi pichações em que o autor coloca o nome e o bairro onde mora, ficando fácil a identificação, mas ninguém estava ali para o autuar em flagrante. Na volta, no acampamento 2, onde fica a casa de pedra, patrimônio histórico, havia um grupo de usuários de droga escrevendo nas paredes internas da casa”, lamentou.

Para Sieg falta prevenção e patrulhamento ostensivo. “Acontece também no Anhangava e em outros locais. Faltam operações e também prevenção. Parece acontecer um descaso. Espero que agora com essa reportagem tanto a Polícia Ambiental quanto o IAP fiquem mais atentos”, concluiu o montanhista, que em seguida enviou uma coletânea de fotos com pichações no Pico do Paraná.

A Banda B entrou em contato com a assessoria do IAP , que afirmou estar ciente da situação, garantindo também que alguns  pichadores já foram identificados e o caso está no setor jurídico do órgão estadual. Ainda, segundo IAP, qualquer denúncia com relação à pichação pode ser feita no telefone: 3213-3700. A assessoria garantiu estar disposta a receber qualquer denúncia e apura-lá.

Em nota, o Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) afirmou que não recebeu denúncias sobre vandalismo no Pico Paraná. A unidade tem realizado patrulhamento pela região constantemente, mas vai fortalecer o policiamento no local. Denúncias sobre crimes ambientais podem ser feitas por meio do telefone 3299-1350.

Confira abaixo as fotos enviadas pelo leitor do Portal da Banda B: