O Museu Oscar Niemeyer (MON) prorrogou, até o dia 17 de março, a exposição “Di Cavalcanti, Brasil e Modernismo”. A mostra reúne cerca de 80 obras de um dos mais expressivos artistas do período modernista da arte brasileira, que retratou o povo e a cultura do nosso país.

Além de alguns dos trabalhos mais famosos e importantes de um dos organizadores da Semana de Arte Moderna de 1922, como as “Cinco Moças de Guaratinguetá”, pertencente ao Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), há pinturas inéditas que permaneciam escondidas em coleções. O curador Olívio Tavares considera esta uma das mais importantes exposições de Di Cavalcanti já realizadas até hoje.

A carreira artística de Di Cavalcanti se iniciou em 1914, quando, aos 13 anos, publicou, na Revista FON-FON, no Rio de Janeiro, sua primeira caricatura. Foi morar em São Paulo para estudar Direito e acabou atuando como jornalista no jornal O Estado de São Paulo. Aos 20 anos começou sua produção como pintor e, no mesmo ano, fez sua primeira exposição individual.

Além de Di Cavalcanti, o MON está com as exposições “Degas: Poesia Geral da Ação; As Esculturas – Coleção MASP”; “Múltiplo Leminski”; “PR/BR”; “Curitiba Central”;”Estruturas Brincantes”; “Museu em Construção”; “IDEA Brasil – o melhor do design brasileiro de 2012”; “Arte sobre papel” e “Cones”.

Serviço: mostra “Di Cavalcanti, Brasil e Modernismo”

Prorrogada até 17 de março, na Sala 1

Horário: das 10 às 18 horas, de terça-feira a domingo

Local: MON, rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba/PR