O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) denunciou à Justiça nesta quinta-feira (7), por extorsão, um delegado aposentado, um policial militar e um guarda municipal de Curitiba. Os três haviam sido presos em flagrante no dia 14 de fevereiro, quando recebiam dinheiro das vítimas. Atualmente, o delegado aposentado está em prisão domiciliar, e os outros dois pagaram fiança e foram liberados.

As investigações foram iniciadas em janeiro, após duas pessoas procurarem a equipe do Gaeco em Curitiba e relatarem tentativas de extorsão por parte de três pessoas que se identificavam como policiais. De acordo com o relato das vítimas, caso eles não pagassem R$ 25 mil, os três acusados “plantariam” drogas para incriminá-los, e os prenderiam depois.

As vítimas pagaram inicialmente R$ 1.900 ao grupo e, quando foram entregar outra parte do dinheiro, o Gaeco prendeu em flagrante os três homens, no momento em que receberam o valor.

Os três foram denunciados por condutas previstas no artigo 158 do Código Penal (constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou deixar fazer alguma coisa). A pena prevista pela legislação brasileira é de reclusão, de quatro a dez anos, e multa.

Além disso, cada um deles, conforme a conduta apurada, foi denunciado com base em outros artigos do Código Penal.